07
09
2023

Agosto Já Acabou? – As Minhas Leituras de Agosto

Olá e bem-vindos ao post mensal sobre as leituras do mês. As minhas leituras de agosto não foram tantas se comparadas a alguns meses atrás, porém li alguns livros muito bons. Quero compartilhar com vocês tudo o que eu li, bem como alguns comentários sobre os pontos bons e ruins. Quem sabe nesse post você não encontra sua próxima leitura?

Minhas Leituras de Agosto

Agosto foi cheio de romances mágicos, ou seja, aqueles cheio de criaturas míticas. Teve demônio, fadas, lobisomens, vampiros e até grims. Eu não consegui exatamente achar uma boa tradução para grim… se estivéssemos falando apenas de grim reapers, até poderíamos usar ceifadores, como é a Morte no The Sims 4. Mas no caso da série em questão, Stay a Spell, há diferença entre as subespécies de grims, sejam grim reapers ou grimlocks… então, vou descreve-los como grims, simplesmente, como no original. Se alguém quiser sugerir uma tradução, por favor, deixe nos comentários.

Todos os livros que li em agosto foram romances. Sim, alguns com menos ênfase na parte do romance a ponto de eu classifica-los mais como fantasia. Porém, todos tiveram o elemento do romance envolvendo a personagem principal.

Emily Wilde’s Encyclopaedia of Faeries

O primeiro livro do mês é justamente essa exceção. Emily Wilde’s Encyclopaedia of Faeries é muito mais focado na construção das espécies e do universo fantasioso do que no romance. Entretanto, o romance ainda está lá. Esse livro é para quem quer muito ler sobre fadas, pois é bastante focado nelas. E não naquelas bonitinhas, não. Mas sim naquelas vindas diretamente do folclore, com muita conexão com a natureza e sem emoções humanas.

A Witch’s Guide to Fake Dating a Demon

A Witch’s Guide to Fake Dating a Demon é um romance entre uma bruxa e o demônio que ela sem querer convoca. Porém, esse demônio tem algo estranho… ele tem uma alma. O romance é bonitinho, tem cenas de sexo entre os personagens principais, mas o mais interessante, na minha opinião, foram as discussões de relações familiares. E tem um pouco de mãe narcisista ali no meio, então se isso for um gatilho pra você, fique esperto.

Nevermore Bookstore

Nevermore Bookstore eu contei como lido porque li mais de 70% e o final, mas foi quase um abandonado. Gente, que livro ruim. A ideia é boa, mas a maneira como foi escrito foi muito ruim mesmo. O leitor é simplesmente jogado no meio das situações e demora para entender o que está acontecendo. Até uns 30% do livro eu achava que era um romance sobrenatural, mas não é. É apenas um romance contemporâneo. Extremamente cansativo de ler, não me apeguei a nenhum dos personagens. Para concluir: achei uma perda de tempo. Essa foi a pior das minhas leituras de agosto.

Capture the Sun

Capture the Sun foi meu audiobook do mês e é o terceiro da série Starlight’s Shadow. Esse se passa no espaço, ou seja, é mais ficção científica. Infelizmente, essa história e seus personagens são parecidos demais com os do livro anterior. Eu fiquei meio entediada ouvindo e não achei a conclusão da série muito boa. Foi meio decepcionante, para ser sincera.

Knockout

Também li em agosto o terceiro da série Hell’s Belles da Sarah MacLean, Knockout. Esse eu achei muito bom, achei a troca de farpas entre o casal principal muito bem escrita. Aliás, a química entre os dois é sensacional. E lembrando que a Imogen, personagem principal desse livro, é especialista em explosivos, isso faz muito sentido. Minha única tristeza com essa série, por enquanto, é que o livro mais fraco foi justamente o primeiro, o da Sesily. Mas até aqui a série tem se levantado e agora só falta o último pra encerrar, que deve sair ano que vem.

Stay a Spell

E por fim, nas minhas leituras de agosto, eu li os sete livros da série Stay a Spell. Bem, na verdade os seis mais a coletânea de contos que foi lançada no meio. Vou tentar resumir bastante: o primeiro livro, Wolf Gone Wild, foi o meu preferido, portanto, um bom começo. Esse livro conta a história de um lobisomem, Matteo, que procura uma bruxa, Evie Savoie, porque foi amaldiçoado e não consegue mais se transformar.

A série então segue com um livro para cada uma das irmãs Savoie e seus respectivos romances. O segundo, Don’t Hex and Drive, é a história de uma bruxa com um vampiro, mas esse vampiro já foi até um ator famoso de Bollywood, o que eu achei… uma escolha. O terceiro, Witches Get Stiches, é o da terceira irmã que também se apaixona por um lobisomem. Esses três primeiros eu achei bons. O problema foi a partir daqui.

E aí a série desandou…

Logo depois foi lançada a coletânea de contos que eu sinceramente achei desnecessária. Apesar de uma coletânea de contos realmente não ser algo que deva ser essencial ao enredo da série, essa aqui foi sem graça. Não fez diferença nenhuma, nem mesmo no sentido de foi divertido de ler. O quarto livro, Always Practice Safe Hex, é o primeiro que apresenta um grim como parte do casal principal. E, apesar de eu estar curiosa quanto a como os grims seriam apresentados na série, no final eles são seres supostamente poderosíssimos e muito inteligentes. Então, por que é nesse livro que os dois personagens principais tomam as decisões mais burras da série? Não sei.

Resting Witch Face é a história da Juliana e do Ruben, ela a irmã Savoie mais velha e mais poderosa, e também líder dos seres sobrenaturais de Nova Orleans. O Ruben é o vampiro líder dos vampiros e segundo na liderança de todos os sobrenaturais da região. Os dois já tiveram um romance no passado, mas suas posições de liderança acabaram influenciando e eles terminaram. Eu gostei das explicações sobre o porque eles se separaram e porque quando eles finalmente resolvem voltar, dá certo. Porém, foi rápido demais e eu achei que perdeu um pouco a emoção.

Chegando ao fim

E Grim and Bear It, o último, é… meu Deus, é meloso demais ao ponto de irritar. Não sei se porque o relacionamento da Clara e do Henry, a parte deles se apaixonando, foi acontecendo durante os outros livros, mas aqui acontece rápido demais. Sério, a história de almas gêmeas e tudo dando certo porque o amor é lindo irrita. E mais uma vez o grim da história tem um superpoder e salva a mocinha com ele e meu Deus, como é chato. Eu ainda tinha esperanças de que a Clara fosse ter algo para contribuir, mas não. Ela só foi a vítima mesmo. É 2023, sabe? Não sei se temos mais espaço para esse tipo de estrutura de história.

Porém, ainda achei o quarto pior, pois pessoas supostamente inteligente tomando decisões sérias de forma claramente burra para benefício do enredo é algo que não suporto.

E essas foram as minhas leituras de agosto. Como sempre, qualquer dúvida é só colocar nos comentários. Me contem também qual foi sua melhor leitura de agosto. Vou adorar saber.

Siga-me por aí:

Twitter | Facebook | Instagram

Skoob | Goodreads

Subscribe
Notificar-me quando houver
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

1 Comentário
Inline Feedbacks
View all comments
trackback
4 meses atrás

[…] a Spell. Mas, mesmo que eu não tenha terminado a leitura em agosto, eu já comentei sobre ele no último post. Então a gente pula esse e vai pro […]