Categoria "Nerdices"
24
07
2017

Acabei de Ler: Geekerela – Ashley Poston

Não havia como esse livro não me chamar a atenção. Afinal, Geekerela reúne tudo que mais amo: contos de fada, romances e muitas, mas muitas referências ao mundo geek. Desde que a Intrínseca tinha anunciado que publicaria a obra no Brasil, já coloquei ela na minha lista de desejados. O problema é que quando finalmente foi publicado, veio com um preço bastante salgado. Tive que esperar para ver se conseguia o livro em promoção. Então, veio a Amazon Day, mas para a minha surpresa, ele entrou na Promoção Relâmpago, que tem número limitado de exemplares. Quando eu vi, já tinha esgotado, só dava para entrar na fila de espera. Eu entrei, mas sem grandes esperanças. Qual foi minha surpresa quando recebi uma mensagem que estava disponível? Sim, eu consegui comprar esse livro na promoção!

Título OriginalGeekerella
AutorAshley Poston
Editora: Intrínseca
Páginas: 380
AdicioneSkoob | Goodreads
Para comprar, clique:

(mais…)

17
07
2017

Doctor Who: Temos Uma Nova Doutora – E Isso É Ótimo

Nesse domingo, dia 16/07, a BBC anunciou quem irá protagonizar a nova temporada de Doctor Who. E finalmente, após 54 anos de série, teremos uma Doutora no comando da TARDIS. A escolhida para o papel foi ninguém menos que Jodie Whittaker. Ela ficou conhecida por sua atuação como Beth Latimer, na série britânica Broadchurch. Agora, a atriz vai ser a primeira Doutora e isso tem dividido a opinião do fandom whovian.

Vocês sabem que o fandom de Doctor Who não é exatamente adepto de mudanças. E isso é de uma ironia sem igual. Essa é uma série que troca de protagonista constantemente. Não só o Doutor, mas os companheiros de viagem dele também mudam. Então, era de se esperar que os fãs estivessem acostumados a essas mudanças. Infelizmente não é assim que acontece.

(mais…)

25
05
2017

Meus Personagens Geeks Preferidos

Hoje é dia 25 de Maio, também conhecido como Dia do Orgulho Nerd. Devia ser feriado, mas por algum motivo, os responsáveis não entendem a importância desse dia. Mas enquanto essa injustiça não é consertada, nós, geeks da internet, vamos comemorando a data. Aqui no Pequenos Retalhos, a contribuição desse ano é uma listinha dos meus três personagens geeks preferidos. Também conhecidos como aqueles com quem eu casaria, teria três filhos e dois cachorros (um é muito pouco).

Acaba de me ocorrer que talvez nesse post eu revele demais sobre as minhas preferências. Como vocês vão ver, eu sou meio consistente nesse quesito. Bom, fazer o quê, não é mesmo? Se conhecer alguém assim, lembre-se de mim!

Sem mais delongas, aqui estão meus personagens geeks favoritos:

(mais…)

22
02
2017

O Que Eu Aprendi Com o Apocalipse Zumbi dos Filmes e Livros

Essa semana finalmente aconteceu: comecei a assistir The Walking Dead. Enquanto escrevo esse post, aproveito para assistir ao nono episódio da segunda temporada. Mas zumbis sempre foram uma fonte de fascinação para mim. Já falei sobre Guerra Mundial Z por aqui e dei algumas dicas de livro sobre o tema também. Por tudo isso, já posso reunir num post alguns ensinamentos que o apocalipse zumbi me trouxe.

1. Sempre Mire na Cabeça

Acho que todo mundo que já assistiu ou leu alguma obra de zumbi sabe, mas não custa lembrar. A única maneira de se parar um zumbi é atirar na cabeça dele, ou pelo menos enfiar algo pontiagudo lá. A maioria das obras sempre atribui ao fenômeno dos mortos-vivos a um vírus ou qualquer outro fator que reativa as áreas instintivas do cérebro. Justamente aquelas que cuidam da sobrevivência. A partir daí, o corpo já morto passa a procurar satisfazer seu instinto mais básico: comer. Sem controle algum. E a única maneira de se parar é destruir o cérebro, que controla todos esses impulsos.

2. Não Faça Barulho

Por serem controlados por seus instintos, os zumbis também são atraídos pelos estímulos mais simples. O mais lógico deles é exatamente qualquer tipo de barulho. Portanto, quando num apocalipse zumbi, não faça barulho. Isso inclui diminuir o número de tiros, também. Um porrete pode ser uma forma melhor de matar um dos mortos-vivos do que uma arma de fogo.

3. Cuidado Com Os Bandos

Na hipótese de um apocalipse zumbi, o mais provável é que a maior parte da população acabe morrendo e saia andando por aí tentando comer qualquer coisa viva. Os zumbis podem não ser muito rápidos (a não ser os do filme Guerra Mundial Z), mas em bando, são extremamente perigosos.

4. Não Fique Esperando o Governo

Esse é um dos erros mais comuns quando um apocalipse acontece é esperar que as autoridades cuidem de tudo. É normal que as pessoas procurem suas organizações para que eles lhe digam o que fazer. Porém, na hipótese de uma epidemia que transforma os mortos em máquinas de destruição, as instituições militares e governamentais podem estar mais perdidas que a população. Portanto, não espere muito dos centros de refugiados. Não acredite em promessas que tudo está bem. Autoridades mentem.

5. Cuidado Com Quem Você Vai Se Tornar

Engana-se quem acha que os filmes, séries e livros que falam sobre zumbis são sobre a destruição que os mortos-vivos e como eles destroem a humanidade. Na verdade, são sobre como a humanidade reage a essa ameaça. Como a perspectiva da luta pela sobrevivência muda as pessoas. Ou talvez mostre quem elas realmente são. Por isso, quando a epidemia estiver em seu auge, cuidado com o que você faz para se manter vivo. Cuidado para que a luta pela sobrevivência não acabe com tudo o que faz de você humano.

Esse é um pequeno guia. Na hipótese de um apocalipse zumbi, espero que você se lembre desse post. Espero ter ajudado. E boa sorte.

Siga-me por aí:

Twitter | Facebook | Instagram

Skoob | Goodreads

16
02
2017

Regras Para Ser Um Bom Fã De Qualquer Coisa

Você já viu por aí aquele bendito meme Raiz vs. Nutella. Aquele que diz que qualquer coisa raiz é muito mais bruta e real do que a mesma versão Nutella. Basicamente, algo raiz é aquele mais antigo, que sabe todos os detalhes e o algo Nutella é o modinha. O meme tem várias versões onde você pode entender o que é um leitor raiz, que só lê clássicos, em comparação com o leitor Nutella, que lê todas as séries que estão sendo lançadas. Ou o que é ser criança raiz, que brincava na rua, e criança Nutella, que fica só no video game. E temos, claro, a versão com o fã.

Sinceramente, achei o meme bem bobo. Mas algumas versões são até bem engraçadas. Conforme o meme foi virando febre, algumas versões acabaram virando uma maneira de algumas pessoas se sentirem melhor do que outras. Foi aí que surgiu a versão do fã raiz vs. o fã Nutella. E vou confessar, isso me incomodou bastante. Principalmente porque é algo que vem me deixando inquieta há algum tempo.

Ser fã quer dizer amar alguma coisa. Pode ser um filme, um livro, uma série… Mas conforme a gente vai se envolvendo com a comunidade na internet, vai percebendo que tem gente colocando requisitos. Em alguns casos, para ser fã, você precisa passar por um teste de conhecimento. Não é suficiente gostar daquilo. É necessário que você saiba tudo sobre o assunto. E ai de você se errar. Vira piada. E eu fico pensando… Por que?

Ser fã devia ter a ver com paixão. Aquele sentimento que faz você querer ler e reler o mesmo livro. Aprender mais sobre o assunto, também. Mas não ter que memorizar tudo, como algumas pessoas na internet querem fazer parecer. Não entendo a finalidade de se tirar toda a leveza de ser fã.

Por isso, se você ama alguma coisa, ame-a do jeito que você quiser. E só isso já te faz fã. Não se deixe levar por gente que diz que você tem que assistir todas as temporadas. Que tem que saber o nome de todos os atores. Se você quiser, aprenda mais sobre o assunto. Respeite tudo o que faz respeito ao filme, livro ou série que você tanto gosta. Respeite os fãs que demonstram sua paixão aprendendo todos os detalhes. Mas não acredite que essa é a única forma de ser um bom fã. Quem decide como gostar de algo é você. Não desrespeitando nenhum dos aspectos e entendendo que cada pedaço da história faz parte daquilo que você ama, a decisão é sua.

A única regra para ser um bom fã é amar aquilo do que se diz ser fã. Ponto final.

Siga-me por aí:

Twitter | Facebook | Instagram

Skoob | Goodreads

 

03
02
2017

Doctor Who e a Regeneração – Algo Que Todo Fã Deveria Ler

Doctor Who, seus fãs e mais um anúncio de regeneração. Um post que também podia ser intitulado: “Eita galera chata do c*ralho”. Peter Capaldi deixa Doctor Who no Especial de Natal de 2017

Desculpa o palavrão ali em cima. Sei que não é uma maneira pela qual costumo me expressar. Mas com a notícia de que a próxima temporada é a última de Peter Capaldi, os fãs de Doctor Who ficaram em polvorosa. Eu não estou no fandom há muito tempo. Na verdade, só vi Matt Smith sair ao vivo, os anteriores já haviam deixado a Tardis quando comecei a assistir a série. E toda vez que sai um anúncio desses, é a mesma coisa.

O Ciclo do Fã e a Regeneração em Doctor Who

Primeiro, vem o choro. E nós choramos bonito, hein? Demora para a gente se acostumar a um Doctor, e de repente ele vai embora. Vem outra pessoa e toma o lugar dele. Por isso, toda vez que um anúncio desses sai, nós choramos. Ficamos viúvas. Num primeiro momento, olhamos para o futuro e não conseguimos imaginar outra pessoa em seu lugar.

Depois, vem a fase do “mas quem vem por aí?”. Normalmente, as revistas e sites especializados começam a levantar nomes logo depois que o anúncio é feito. A maioria dos fãs demora um pouco mais, mas logo se rende à curiosidade. Afinal, quem vai ser o protagonista da série? Façam suas apostas.

Pare só um minuto para voltar ao começo e assista o Peter Capaldi sendo anunciado como o novo Doctor, em 04/08/2013. Acredite, vai fazer você se sentir um pouco melhor.

Feito? Que bom! Porque aí acontece uma coisa chata: os ataques. Afinal, se tem uma coisa que todo fã de Doctor Who é, é possessivo. Não falamos em melhor Doctor ou em melhor Tardis. Não. Converse com um fã de Doctor Who e o veja falando em MEU Doctor ou MINHA Tardis. Nem precisa ir muito longe. Clique aqui e leia sobre o MEU Doctor. E aí começam aquelas opiniões de que ninguém será capaz de substituir o MEU Doctor. Logo, toda sugestão é horrível. Voltamos ao choro.

Não Se Desespere!

Por isso resolvi escrever esse post. Amigo fã de Doctor Who, calma. Vai ficar tudo bem. Pode parecer o fim do mundo agora, mas um novo Doctor é importante para a série. Desde que a regeneração foi a solução encontrada para que a série não acabasse com a saída de William Hartnell, por problemas de saúde, Doctor Who continua por causa dela. Mais que isso, Doctor Who se renova por causa dela. E essa renovação é algo muito bom.

Por isso, quem me segue no Twitter sabe: eu odeio quando alguém que sugere que um ator que já fez o papel volte a ser o Doctor. Sim, mesmo que a sugestão seja o Tennant. Regeneração serve para impulsionar a série para frente. Voltar para trás seria uma degeneração. Vamos parar com isso?

E você pode amar o Peter Capaldi (eu também o amo). O ator fez um trabalho maravilhoso em Doctor Who. É difícil no momento imaginar alguém no lugar dele. Talvez, mesmo daqui há alguns anos, com mais algumas regenerações, você ainda não tenha superado o Capaldão. Mas não deixe que isso o impeça de admirar e até aprender a amar o ator ou a atriz que vem por aí. Doctor Who é única no sentido que se renova de tempos em tempos. Por isso, experiencie sua dor. Viva o seu luto. Mas que isso não vire uma barreira para que você aproveite o melhor da série: a novidade.

Boa décima temporada (que aliás começa em 15/04). Bom especial de Natal, que esse ano vai ser mais emocionante por contar com uma regeneração. E acima de tudo, bom novo Doctor (ou nova Doctor, quem sabe?).

Siga-me por aí:

Twitter | Facebook | Instagram

Skoob | Goodreads

07
01
2017

CCXP 2016: Como Foi

No começo de Dezembro, tivemos mais uma edição da Comic Con Experience, que acontece em São Paulo. Eu estava por lá e, como tenho um carinho enorme pelo evento, resolvi vir contar como foi.

CCXP 2016

Olha quem eu encontrei na fila!

Ano passado eu fui um dia só e foi um dos melhores momentos da minha vida de fã. Porque, bem… eu conheci David Tennant lá. Sim, um dia eu paro de citar esse fato. Hoje não será esse dia. Mas, voltando, em 2016 acabei indo três dias: sexta, sábado e domingo. Eu ia só sexta e sábado, mas daí tinha uma amiga ia todos os dias e a Netflix anunciou painel no domingo… Resolvi ir no último dia também. Confesso que rolou uma esperança de ver as crianças de Stranger Things ou alguém de Gilmore Girls. Mas acabei vendo o Neil Patrick Harris, que também foi bem legal.  (mais…)

03
01
2017

Terças Whovians: The Return of Doctor Mysterio

Pois é, gente, depois de um ano, Doctor Who voltou! Pode gritar, pode deixar as lágrimas rolarem. O Senhor do Tempo está de volta, finalmente. Nesse Natal, a série voltou com o tradicional episódio especial de Natal. O episódio The Return of Doctor Mysterio trouxe de volta também Nardole, que a gente conheceu há um ano, no último especial de Natal.

(mais…)

17
08
2016

TAG Doctor Who

Faz tempo que eu não falo de Doctor Who aqui no blog, né? Estava na hora de fazer mais um post relacionado à essa série que eu amo tanto. E hoje vou responder a uma tag criada pela Tais Amaral e compartilhada no grupo Blogueiros Geeks. Era para ter sido respondida em julho, mas aí não deu e eu resolvi postar agora.

13495512_10205195797608992_8018695805390430833_o

(mais…)

15
07
2016

Já amei, mas o tempo passou e…

Um dos temas da blogagem coletiva desse mês no grupo geek mais lindo do universo, o Blogueiros Geeks, chamou a minha atenção. A ideia é compartilhar com vocês sobre um filme, série ou livro da qual você já foi fã, mas o tempo passou e por algum motivo, hoje você não gosta mais. amei

É interessante pensar naquilo que a gente já foi fã. Porque, como todo geek pode atestar, a gente vira fã de muitas coisas. Algumas delas vão ficar para a vida. Por exemplo, já sou fã de Harry Potter há aproximadamente 15 anos. Mas outras, por mais que a gente tenha se apaixonado, aos poucos vai crescendo, vai mudando o pensamento e quando vê, já esqueceu.

E não tem jeito: tenho que falar da saga Crepúsculo. Quando li pela primeira vez, há uns oito anos atrás, no alto do hype em torno dos livros da série, amei. Acabei me apaixonando pela história de amor de Edward e Bella. E sim, eu era Team Edward. Para ajudar, ainda me apaixonei pelo Robert Pattinson e foi daí ladeira abaixo.  (mais…)

Página 1 de 9123456789