17
07
2023

Li em Junho – Um Mês de Mudanças

Um pouco atrasado, mas o post vai sair. Sim, como acontece todo mês aqui pelo blog, vou comentar sobre as leituras que fiz. E eu sei que eu foco muito em romance nas leituras, afinal é o meu gênero literário preferido. Porém, sempre pode acontecer aquele burn out, quando o que você amava parece deixar de ser interessante. Então, para garantir que eu ainda continue a curtir as leituras e não entre numa ressaca literária, resolvi mudar um pouco o que li em junho. Para isso, acabei escolhendo me aventurar num subgênero literário: o de mistérios aconchegantes, ou cozy mysteries em inglês. E puxei um pouco de fantasia e romance também, mas tudo com a vibe cozy.

O que são cozy mysteries?

Primeiro, porém, deixa eu explicar: afinal, o que são cozy mysteries? Basicamente, são histórias de mistério, normalmente de investigação de assassinato. Porém, essas histórias são contadas de uma maneira bastante específica. Há um certo cuidado ao se descrever o crime, sem aquelas descrições mais brutas envolvendo sangue, por exemplo. Outra diferença é o ambiente, pois é sempre utilizado um cenário mais confortável, como cidades pequenas, livrarias, restaurantes e lojinhas menores. Há menções a hábitos e hobbies mais aconchegantes, como leitura, jardinagem e até crochê.

Entretanto, o que talvez seja o fator mais comum é o fato de que os personagens principais são detetives amadores, pessoas com ocupações comuns, que por uma razão ou outra se envolvem na investigação. E em livros com esse tipo de mistério se contam também várias histórias com um toque de mágica, envolvendo bruxas e fadas. Não é algo necessário, mas existem vários livros de cozy mystery que trazem um pouco de fantasia.

Por que gostei tanto dos cozy mysteries?

Eu li em junho alguns sem magia alguma e outros que trazem essa temática. Li livros sobre bruxas e fadas e até mesmo sobre vampiros. Para mim foi ótimo encontrar esse subgênero, pois nunca fui muito de ler suspenses e mistério. O máximo que li foram alguns livros da Agatha Christie e eu gostei bastante, sim, mas não posso afirmar que seja um gênero que me atrai muito. Eu vou ser sincera: me impressiono muito fácil e dependendo de como a história é contada, às vezes fico remoendo ela na minha cabeça por semanas depois de terminar a leitura. Por isso, normalmente tento fugir de livros assim.

Os cozy mysteries porém não fazem isso comigo. Ao focar mais na investigação e em quem está investigando ao invés de destacar toda a desgraça, eu consigo ler sem me preocupar tanto. Foi o que eu fiz em junho.

Nesse post, vou apresentar apenas os cozy mysteries que eu li. No próximo, vou conversar sobre as cozy fantasies e romances do mês passado.

The Great Witches Baking Show e The Vampires Book Club

O primeiro lido foi em audiobook, The Great Witches Baking Show, que se passa num Bake Off da vida. Porém, a personagem principal, uma das participantes do programa, é uma bruxa, mesmo que ela não saiba disso. Tudo o que ela sabe é que vê fantasmas, uma habilidade que se torna útil quando outro participante é assassinado nas gravações do programa.

O segundo audiobook, da mesma autora, foi The Vampires Book Club, e apesar do que o título possa sugerir, a personagem principal é uma bruxa também. Uma bruxa aliás que está sendo castigada por ter feito um feitiço proibido entre as bruxas. Por isso, ela é obrigada a deixar sua vida para trás em Seattle e ir cuidar de uma livraria de outra bruxa em um pequeno vilarejo na Escócia. Infelizmente, na primeira vez que ela entra na livraria, encontra um corpo estirado no chão. E sim, vampiros também aparecem nessa história, inclusive com seu clube do livro.

Uma tendência comum nos cozy mysteries são as séries de livros serem longas. Sério, já vi série de 14 livros, e gente, pra quê? Como eu me conheço, duvido que eu me prenda tanto a uma única série a ponto de ler 14 livros. Só se eu me apaixonar demais pelos personagens.

A Sprinkling of Murder

O próximo, A Sprinkling of Murder, acontece numa loja de chá e jardim de fadas. Jardins de fadas são jardins em miniaturas, todo decorados, e na loja da protagonista, ela ensina outras pessoas a montarem esses pequenos jardins. Mas não se preocupem, porque sim, as fadas existem nesse universo. Nesse caso, elas são pequenininhas e aladas, no estilo da Sininho do Peter Pan. Mas esse cenário mágico é disturbado quando um corpo é encontrado dentro da loja.

Spelling the Tea

O último dos cozy mysteries que li em junho e envolve magia é Spelling the Tea, onde uma bruxa decide ajudar o dono de uma casa de chá em Bath (dono que aliás é um vampiro) a resolver o assassinato de um dos seus garçons. Esse daqui eu ouvi em audiobook e não gostei muito da narração, meio que estragou o livro pra mim.

Dead And Gondola

Eu também li em junho Dead and Gondola, um livro sobre duas irmãs que tem uma livraria num vilarejo de esqui. Ou seja, a livraria fica no meio de uma montanha nevada, e uma das maneiras mais fáceis de subir até lá é por um sistema de bondinhos, ou em inglês, gondola. Um dia a calma acaba quando o corpo de um cliente misterioso é encontrado dentro de um dos bondinhos. Esse teve várias reviravoltas e foi bem difícil, pelo menos para mim, descobrir quem era o culpado antes do final.

Six Feet Deep Dish

O último dos mistérios aconchegantes que li em junho foi Six Feet Deep Dish, que se passa em uma pizzaria. Aqui, a dona da pizzaria quer resolver o caso do assassinato do cuidador de sua tia-avó na noite de inauguração de sua pizzaria. Isso porque a principal suspeita é sua própria tia-avó. Achei muito interessante a resolução desse mistério e os motivos do assassinato quando foram revelados.

Cozy Mysteries Traduzidos Para Português

Então esses foram os livros de mistério que li em junho. Acho que deu pra entender mais ou menos como eles são, né? Infelizmente, não encontrei exemplos já traduzidos para o português. Os livros que aparentemente chegam mais perto são A Espiã da Realeza, da Rhys Bowen, publicada no Brasil pela Editora Arqueiro e disponível no Kindle Unlimited, e O Clube do Crime das Quintas-Feiras, do Richard Osman, publicado pela Intrínseca. Como eu não li nenhum deles, não posso dar certeza que se encaixam na definição, porém.

Se você tiver algum livro nesse estilo que já foi traduzido para português, não esquece de me contar nos comentários. E não esquece que ainda vou falar sobre as fantasias e romances cozy no próximo post.

Siga-me por aí:

Twitter | Facebook | Instagram

Skoob | Goodreads

Subscribe
Notificar-me quando houver
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
trackback
10 meses atrás

[…] em inglês para aconchegante. Eu tentei explicar um pouco quando falei sobre os cozy mysteries que li em junho. Eu prefiro sempre utilizar o termo em português quando escrevo aqui no blog, por mais que eu leia […]

Fernanda Gomes
Fernanda Gomes
10 meses atrás

Suas postagens são ótimas, estou seguindo seu blog e curtindo bastante!! Parabéns!

músicas disponíveis no Tubidy