04
12
2020

O Conde Sovina – Moira Bianchi

Bom dia, boa tarde ou boa noite, o que melhor lhe aprouver! Fiquei um tempinho sem atualizar por aqui, porque infelizmente a vida me trouxe algumas surpresas desagradáveis. Mas volto, como sempre, para compartilhar com vocês minhas leituras. A dica da vez é O Conde Sovina, o primeiro romance de época da série Lordes Imperfeitos. Essa obra nacional está sendo publicada pela Pitangus, parceira aqui do blog. A Moira Bianchi escreve esse primeiro livro, mas no meio dele a Lucy Dib (autora do segundo) escreve uma carta para mudar o rumo da história. No segundo livro da série, O Duque Muquirana, é a vez da Moira deixar a Lucy lidando com as consequências de uma carta surpresa. Achei a ideia muito legal, razão pela qual as duas são creditadas como autoras nos dois livros.

Eu, logo de cara, fiquei muito interessada nos livros, pois como é fácil de perceber, amo romances de época. Saber que teríamos mais obras nacionais sendo publicadas me deixou bastante entusiasmada. Além disso, o protagonista de O Conde Sovina traz uma característica bastante incomum aos protagonistas do gênero… é sovina. E isso já me inspira a fazer várias considerações que, é claro, vocês poderão conhecer a fundo lendo o resto do post. O Conde Sovina - Lordes Imperfeitos

Autor: Moira Bianchi
Série: Lordes Imperfeitos #1
Editora: Pitangus Editorial
Páginas: 166
AdicioneSkoob

O Conde Sovina

O sovina em questão é Evan, o Conde de Itsdale. Ele não nasceu em berço de ouro, aliás muito pelo contrário. Evan sofreu muito com sua pobreza, tendo que trabalhar para ter o que comer. Acabou se tornando conde por uma sorte do destino, quando estava pronto para pagar uma passagem para o Novo Mundo. Porém, com o título e as propriedades, veio a esperança de como sobreviver. Entretanto, devido a seu histórico, logo começou a se empenhar visando o lucro e economizando o máximo possível.

É numa das oportunidades de economia que conhece Ruby, filha de comerciante de instrumentos musicais. Ruby dá aula de música e é isso que faz Evan propor uma permuta com ela. Isso porque um parente distante pediu para que ele hospedasse seus dois filhos por um verão e Evan não quer ter a despesa de contratar uma preceptora. Assim, ele sugere ao pai de Ruby que a mesma passe o verão em sua casa, cuidando e dando aulas às crianças, em troca de comida e hospedagem. Além disso, Evan ajudaria a divulgar a loja da família. Impressionantemente, Ruby não receberia qualquer tipo de salário por seu trabalho, mas o pai aceita o acordo mesmo assim.

A convivência dos dois logo vai fazendo com que fiquem mais próximos, mesmo que também traga muitas discussões devido à avareza de Evan. Sim, porque ele não admite de forma alguma qualquer gasto que esteja fora de seu orçamento. Porém Ruby vai conhecendo o Conde sovina melhor e entendendo as suas razões. Logo o relacionamento dos dois começa a mudar.

Lendo Esse Romance De Época

Não vou negar que a sovinice do Evan me tirou do sério e embora existam sérios motivos para que ele se comporte dessa maneira, ainda assim é irritante. Foi algo que não permitiu que eu me apaixonasse pelo personagem, ainda que eu acredite ser uma maneira interessante de desenvolver a história. Isso só prova que dá para não gostar de um personagem e mesmo assim entendê-lo.

Em muitos momentos fiquei com pena da Ruby, pois para ela são dadas ainda menos oportunidades de decisão. O pai e o Conde tendem a tomar as decisões e simplesmente comunicá-la, sem ao menos perguntar sua opinião sobre o assunto. Com certeza, em conforme com a maneira que as mulheres eram tratadas na época, mas ainda assim, algo angustiante.

Concluindo

No geral, a leitura foi ótima, a trama é bem definida e a história não cai nas armadilhas que por vezes fazem romances desse gênero entediantes. Algo, porém, que eu mudaria, seria a linguagem utilizada. Embora eu entenda que foi utilizada uma linguagem mais rebuscada para enfatizar a época em que a história se passa, não sei até que ponto isso ajuda. Em alguns momentos, acredito que a leitura teria se favorecido com uma linguagem um pouco mais atual. Afinal, ainda que a história se passe no passado, ela é escrita e contada para os leitores de agora.

Existiram momentos que a linguagem travou um pouco a história. Talvez teria sido uma leitura mais envolvente com um equilíbrio melhor entre respeitar as expressões e costumes da época e fazer a leitura um pouco mais acessível. Mas é um ponto pequeno e você se acostuma conforme a leitura se desenvolve, então não deixe que essa consideração impeça que você dê uma chance ao livro.

Além disso, devo admitir que foi uma história que obviamente foi bem pesquisada e então o leitor vai aprender muito ao mesmo tempo que conhece a história de amor desses dois. Esse ponto para mim é de extrema importância e muito positivo e quero parabenizar a autora pela pesquisa.

Recomendo bastante esse primeiro livro e já estou com o segundo engatilhado aqui no Kindle Unlimited. Aliás, os dois e-books estão disponíveis no K.U. e para venda na Amazon e logo logo a Pitangus vai disponibilizar a edição física também. Se quiser ser avisado, é só me seguir no Instagram que eu com certeza vou avisar por lá.

* Esse livro foi recebido em parceria com a editora.

Siga-me por aí:

Twitter | Facebook | Instagram

Skoob | Goodreads

Subscribe
Notificar-me quando houver
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Samara Silva
10 meses atrás

Gostei bastante do artigo, muito bom mesmo! Estou amando ler seus artigos e compartilhar com os amigos!

Meu Blog: <a href=”https://www.apostandonaloteria.com/tri-legal/”> Ganhadores do Tri Legal </a>

trackback
8 meses atrás

[…] Editorial e é o segundo da série Lordes Imperfeitos. Se quiser conhecer também sobre o primeiro, O Conde Sovina, é só ler o post aqui no blog. Eu fiquei bem interessada nesses livros porque são romances de […]