Categoria "Acabei de Ler"
29
01
2016

Romances Históricos: Dicas de Livros

Eu amo romances históricos, mas uma das grandes dificuldades quando falamos deles é que é muito fácil para o autor cair na velha receita de bolo e não trazer nada de inovador em sua história. Ou ainda, é comum a protagonista acabar totalmente sem graça, sem atitude e se colocar a culpa na sociedade em que ela vivia.12523641_1020210841382832_531952014_n

Por isso, quando leio esse tipo de romance histórico, uma das características que mais valorizo é justamente o desenvolvimento da personagem principal. Na grande maioria das vezes (só não digo todas porque existem raras exceções) a personagem feminina está à procura de um marido ou está lutando contra isso, pois na época em que a maioria dos romances se passa (normalmente séculos XVIII ou XIX) uma mulher solteira não tinha chances nenhuma na sociedade. Se essa protagonista não for bem desenvolvida, ficará apenas uma mulher correndo atrás de homem e sinceramente, não tenho paciência para isso.

Mas não temam. Por já ter lido uma quantidade considerável desse tipo de romance, aí vão algumas dicas de livros: (mais…)

28
01
2016

[#Projeto100LEL]: Aventuras de Alice no País das Maravilhas – Lewis Carroll

Sempre quis ler Aventuras de Alice no País das Maravilhas. Não só o livro é um grande clássico da literatura infantil, tendo sido adaptado de diversas formas para o cinema e TV, sendo a mais famosa delas a animação dos estúdios Disney, como também é presente em várias outras obras literárias e cinematográficas, sendo uma das leituras mais citadas. Afinal, quem nunca estava assistindo uma série e se deparou com uma citação de Alice?

alice

Alice’s Adventures in Wonderland, frequentemente abreviado para Alice in Wonderland (Alice no País das Maravilhas) é a obra mais conhecida de Charles Lutwidge Dodgson, publicada a 4 de julho de 1865 sob o pseudônimo de Lewis Carroll. É uma das obras mais célebres do gênero literário nonsense.

O livro conta a história de uma menina chamada Alice que cai numa toca de coelho que a transporta para um lugar fantástico povoado por criaturas peculiares e antropomórficas, revelando uma lógica do absurda característica dos sonhos.

Este está repleto de alusões satíricas dirigidas tanto aos amigos como aos inimigos de Carroll, de paródias a poemas populares infantis ingleses ensinados no século XIX e também de referências linguísticas e matemáticas frequentemente através de enigmas que contribuíram para a sua popularidade. É assim uma obra de difícil interpretação pois contém dois livros num só texto: um para crianças e outro para adultos. (sinopse retirada da Wikipedia)

Título Original: Alice’s Adventures in Wonderland and Through the Looking Glass 
Autor: Lewis Carroll
Editora: Zahar
Páginas: 320
Avaliação: 3/5

Por isso, aproveitei a ideia do Projeto 100 Livros Essenciais da Literatura para finalmente tirar da estante o livro. Eu tenho duas edições de Aventuras de Alice no País das Maravilhas, e as duas vieram também com Através do Espelho e o que Alice Encontrou por Lá. Uma delas é linda, em inglês, da Barnes & Noble, cor de rosa choque com o corte dourado, e a outra é a edição de bolso de luxo da Zahar, toda ilustrada e também muito linda.

Acabei lendo a edição em português, porque apesar de linda, a edição da Barnes & Noble é super difícil de carregar por aí, porque é enorme. Já a edição da Zahar, apesar de ser de bolso, é super completa e toda a diagramação das páginas é feita com cuidado. Dá gosto de ler.

Eu gostei muito da história, mas tenho que dizer que tinha expectativas diferentes para ela. Esperava que fosse algo mais parecido com histórias infantis como O Menino do Dedo Verde, do Maurice Druon, ou O Pequeno Príncipe, do Antoine de Saint-Exupéry, mas Alice segue um outro rumo.

Para mim, Aventuras de Alice no País das Maravilhas é um livro dirigido para o público infantil mesmo, que brinca com o imaginário da criança. Claro, temos uma clássica alusão à passagem para a vida adulta e as perguntas que Alice faz durante sua incursão pelo País das Maravilhas representam seu crescimento, mas ainda assim, acredito que o teria aproveitado melhor se tivesse lido mais nova.

Por isso, esse é um livro que recebeu três estrelas no Goodreads e no Skoob. É um livro ótimo, apenas não é o livro certo para mim no momento.

Siga o blog nas redes socias:

Twitter | Facebook | Instagram

Skoob | Goodreads

27
01
2016

[Clube do Livro Geek] Ubik – Philip K. Dick

Li um livro bem diferente do que costumo ler para o Clube do Livro Geek: Ubik, do Philip K. Dick. Nunca tinha ouvido falar dele antes de ser o escolhido para a primeira leitura do grupo e achei interessante para expandir meus horizontes literários. Ubik é um livro de ficção científica hardcore que foi publicado em 1969 e onde o autor imagina um futuro distante, 1992, quando se passa a história.

Um dos pontos mais intrigantes do livro é como você é jogado, sem dó nem piedade, no meio do universo construído pelo autor. Não existe uma introdução ou qualquer explicação acerca das particularidades do mundo em que os personagens vivem. Basicamente, dá para imaginar o autor  jogando o leitor no meio da história e quando grita por socorro, o Sr. Dick grita de volta: “Se vira!”.

ubik2Título Original: Ubik
Autor: Philip K Dick
Editora: Aleph
Páginas: 240
Avaliação: 4/5
Site: Editora Aleph
Adicione: Goodreads – Skoob

Num primeiro momento, não gostei nada disso. Queria qualquer tipo de explicação acerca do que eram o precogs ou como funcionava a empresa de Glen Ruciter, um dos personagens principais, mas simplesmente não havia explicação nenhuma. Porém, ao insistir na história, pude ao pouco juntar as peças do quebra-cabeça, e aí comecei a admirar essa nova forma de se contar a história.

Também devo dizer que não li nenhum tipo de sinopse da história. Mesmo aquela do Goodreads já condensa bem os pontos principais do enredo, mas acho que a experiência foi bem mais interessante dessa maneira como fiz.

ubik

O livro tem muitos pontos fantásticos, como a construção de mundo e do que seria a meia-vida, um estado entre a vida e a morte onde as pessoas podem se comunicar com aqueles que ainda não se foram através da tecnologia. Algo que achei admirável também é como tudo que é contado tem sentido, está ali por uma razão e não por acaso ou, pior ainda, para encher linguiça.

Porém, um dos pontos mais fracos na trama diz respeito ao desenvolvimento e aproveitamento dos personagens. São muitos e tem suas características pessoais, mas por não serem bem explorados, acabam virando um ente único na mente do leitor. Particularmente, gostaria de ter conhecido mais a Pat Conley e seu poder único, mas o autor apenas pincela por ele utilizando-se da desculpa que ninguém saberia ao certo o alcance de suas habilidades.

Achei o Joe Chip um ótimo narrador, mas ainda teria apreciado melhor a história como um todo se houvessem menos explicações científicas (são muitas, razão pela qual classifiquei a obra como ficção científica hardcore) e mais aproveitamento de cada um dos personagens.

O final é bem satisfatório e acredito que o autor tenha conseguido explicar bem o enredo e levado o leitor até um ponto onde se consegue visualizar a história como um todo. Talvez, lendo pela segunda vez, a trama pareça mais completa.

Por fim, foi sem dúvida uma experiência interessantíssima e uma ótima introdução ao mundo mais sério do sci-fi.

Vocês já leram livros assim? Gostam do gênero?

Siga o blog nas redes socias:

Twitter | Facebook | Instagram

Skoob | Goodreads

26
01
2016

Kindle Unlimited: Dicas

Muitas pessoas não conhecem o Kindle Unlimited, um programa de assinatura da Amazon que dá acesso ao usuário a um catálogo imenso de e-books, que ele pode ler à vontade.kindleunlimited

Mas como funciona exatamente? Você tem que ter uma conta no site da Amazon Brasil e só. Muita gente acredita que os e-books vendidos pela Amazon Brasil são só para quem tem o e-reader Kindle, mas isso não é verdade. Você pode ter acesso aos e-books que você comprar na Amazon pelo próprio navegador que você usa, através do Cloud Reader deles, ou então por qualquer um dos aplicativos que eles disponibilizam para celulares e tablets.

Aí, você assina o programa, que custa R$ 19,90 por mês (e como o Netflix, tem aquele período de teste de 30 dias), no cartão de crédito. Para quem está acostumado já a comprar e-books, sabe que esse é um preço que vale a pena, porque existem muitos e-books bem mais caros do que isso.

O Kindle Unlimited então funciona mais ou menos como uma biblioteca virtual: ele dá ao usuário o direito de ter em sua conta 10 livros por vez. Os e-books que estiverem em sua conta poderão ser acessados de qualquer computador, através dos aplicativos para smartphones e tablets e também, se você tiver um Kindle, os e-books também poderão ser acessados dali.

Uma coisa legal é que os e-books que você estiver lendo estarão sempre sincronizados nos seus dispositivos, desde que eles estejam conectados à internet. Ou seja, você pode começar a ler no computador e acabar no seu tablet, sem problemas.

O programa também pode ser cancelado a qualquer momento, então não tem problema: não gostou? Cancela.

Eu tinha algumas dúvidas no começo em relação ao catálogo. Não, não são todos os e-books que estão disponíveis para o Kindle Unlimited. Mas de uns tempos para cá o catálogo aumentou bastante e vários livros novos, inclusive vários da Galera Record e da Editora Draco, estão disponíveis.

Aí vão algumas dicas de e-books disponíveis:

 

perdida

 

Perdida, da Carina Rissi

Sofia vive em uma metrópole e está habituada com a modernidade e as facilidades que isso lhe proporciona. Ela é independente e tem pavor à menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são os que os livros lhe proporcionam. Mas tudo isso muda depois que ela se vê em uma complicada condição.

Após comprar um novo celular, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século XIX, sem ter ideia de como ou se voltará. Ela é acolhida pela família Clarke, enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de voltar para casa.

Com a ajuda do prestativo Ian, Sofia embarca numa procura às cegas e acaba encontrando algumas pistas que talvez possam levá-la de volta para casa. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos…

 

 

 

 

trono

O Trono de Vidro, da Sarah J. Maas.

Nas sombrias e sujas minas de sal de Endovier, um jovem de 18 anos está cumprindo sua sentença. Celaena é uma assassina, e a melhor de Adarlan. Aprisionada e fraca, ela está quase perdendo as esperanças quando recebe uma proposta. Terá de volta sua liberdade se representar o príncipe de Adarlan em uma competição, lutando contra os mais habilidosos assassinos e larápios do reino. Endovier é uma sentença de morte, e cada duelo em Adarlan será para viver ou morrer. Mas se o preço é ser livre, ela está disposta a tudo.

Existem vários outros títulos disponíveis, inclusive alguns da Meg Cabot, Colleen Hoover, Tammara Webber e até Os Garotos Corvos, da Maggie Stiefvater, está lá também. No meu caso, o Kindle Unlimited me ajuda muito a não falir totalmente no fim do mês.

E vocês, já conheciam o Kindle Unlimited?

Siga o blog nas redes socias:

Twitter | Facebook | Instagram

Skoob | Goodreads

24
01
2016

Viagens Literárias

Amo viajar e tenho certeza que a maioria das pessoas gosta também. E também amo livros, por isso decidi reunir num único post algumas sugestões de viagens literárias, ou seja, destinos que tenham a ver com livros, como bibliotecas e livrarias imperdíveis ao redor do mundo.

1.  Shakespeare and Company – Paris, França (site)

Essa livraria em Paris, na França, é cheia de história. Pertinho da Catedral de Notre Dame e do Rio Sena, foi fundada por um americano chamado George Whitman e é um refúgio até hoje para escritores estrangeiros que vivem na França. E sim, nessa livraria se vendem livros em inglês.IMG_1823 (mais…)

20
01
2016

Acabei de Ler: Os Garotos Corvos – Maggie Stiefvater

garotoscorvos

Todo ano, na véspera do Dia de São Marcos, Blue Sargent vai com sua mãe clarividente até uma igreja abandonada para ver os espíritos daqueles que vão morrer em breve. Blue nunca consegue vê-los – até este ano, quando um garoto emerge da escuridão e fala diretamente com ela. Seu nome é Gansey, e ela logo descobre que ele é um estudante rico da Academia Aglionby, a escola particular da cidade. Mas Blue se impôs uma regra – ficar longe dos garotos da Aglionby. Conhecidos como garotos corvos, eles só podem significar encrenca. Gansey tem tudo – dinheiro, boa aparência, amigos leais -, mas deseja muito mais. Ele está em uma missão com outros três garotos corvos – Adam, o aluno pobre que se ressente de toda a riqueza ao seu redor; Ronan, a alma perturbada que varia da raiva ao desespero; e Noah, o observador taciturno, que percebe muitas coisas, mas fala pouco. Desde que se entende por gente, as médiuns da família dizem a Blue que, se ela beijar seu verdadeiro amor, ele morrerá. Mas ela não acredita no amor, por isso nunca pensou que isso seria um problema. Agora, conforme sua vida se torna cada vez mais ligada ao estranho mundo dos garotos corvos, ela não tem mais tanta certeza.

Título Original: The Raven Boys 
Série: The Raven Cycle #1 
Autor: Maggie Stiefvater
Editora: Verus
Páginas: 376
Avaliação: 5/5

Vocês tem algum livro na sua estante que está lá, parado, você sabe que vai gostar quando ler, mas por um motivo ou outro, simplesmente vai deixando para depois? Com a série Os Garotos Corvos eu me senti assim. Falta de boas recomendações é que não foi: todo mundo com quem eu conversei sobre a história se derramava em elogios sobre a trama e a escrita da autora. Mas eu demorei um pouco mais para decidir lê-lo.

Uma das razões, porém, eu sempre tive muito clara: eu sabia que o estilo da Maggie Stiefvater proporciona uma leitura densa, complexa. Não é o tipo de livro que você consegue ler sem prestar muita atenção. A narrativa da autora é bem descritiva e acima de tudo, sua construção de personagem e de mundo é minuciosa, o que pode assustar o leitor de primeira viagem.

Não era o meu caso quando resolvi ler esse livro, porém. Já tinha lido A Corrida do Escorpião da autora (inclusive já comentei sobre ele aqui) e por isso já estava preparada. E por isso, acredito, não só consegui ler as primeiras páginas já me ambientando com o universo que a autora criou, como logo comecei a me apaixonar pelos personagens.

E que personagens! A história acaba girando em torno de Blue Sargent, uma garota que vive com sua mãe, tias e mais algumas mulheres da família que são todas médiuns (e que apesar de serem consideradas secundárias, ainda assim são extremamente bem desenvolvidas) e sua amizade com os Garotos Corvos, um grupo de quatro amigos que estudam na Academia Aglionby, que é uma escola para os filhos de famílias ricas e que tem um corvo como símbolo.

Gansey, Ronan, Adam e Noah estão numa missão: encontrar Glendower, um rei que já está morto há muito tempo, mas cujo lenda diz que ele só espera ser despertado e que aquele que o despertar terá seu pedido concedido. Essa sempre foi a missão de Gansey, que aos poucos foi juntando seus amigos para que o ajudassem nessa tarefa.

O interessante do livro é que eu poderia passar horas explicando cada um dos personagens, porque existem muitos detalhes na história de cada um. E, mesmo com todo o desenvolvimento de cada um deles, a leitura não fica pesada e nem se perde nas suas descrições.

Toda a mitologia criada por Stiefvater encanta o leitor e mesmo que a história se prolongue em quatro livros (o segundo e o terceiro, Os Ladrões de Sonhos e Lírio Azul, Azul Lírio, já publicados no Brasil pela Editora Verus e o último, The Raven King, que será lançado em 26 de abril nos EUA), ainda assim dá para ficar muito interessado no que vai acontecer e esperar ansiosamente pelos próximos livros.

Definitivamente, cinco estrelas e favoritado, tanto no Goodreads quanto no Skoob. E vocês, já leram? O que acharam do livro?

Siga o blog nas redes socias:

Twitter | Facebook | Instagram

14
01
2016

Acabei de Ler (e Ouvir): A 5ª Onda – Rick Yansey

Eu coloquei esse post na categoria Acabei de Ler porque sim, ouvir um audiobook também é uma maneira de ler. A 5ª Onda é um livro de distopia young adult que já foi adaptado para os cinemas e tem estréia prevista para o dia 21/01/2016. Aqui no Brasil, o livro foi lançado pela editora Fundamento.

5aondaDepois da primeira onda, só restou a escuridão.
Depois da segunda onda, somente os que tiveram sorte sobreviveram.
Depois da terceira onda, somente os que não tiveram sorte sobreviveram.
Depois da quarta onda, só há uma regra: não confie em ninguém.
Agora “A Quinta Onda”está começando…

Cassie está sozinha, fugindo dos Outros. Ela vive em uma Terra devastada, onde qualquer pessoa, até mesmo uma criança, pode ser o inimigo. Um inimigo que parece humano, que espreita em todos os lugares, pronto para aniquilar os últimos sobreviventes. Permanecer sozinha é permanecer viva – Cassie acredita nisso até encontrar Evan Walker. Mas será que ela pode confiar nele? Será que ele pode ajudá-la a resgatar o irmão? Chegou o momento em que Cassie deve escolher entre a esperança ou o desespero, entre enfrentar os Outros ou se render ao seu destino, entre a vida ou a morte. Entre desistir ou lutar!

Título Original: The 5th Wave 
Série: The 5th Wave #1 
Autor: Rick Yansey
Editora: Fundamento
Páginas: 367
Avaliação: 4/5

Devo confessar que já tinha visto o livro por aí mas nunca tinha me interessado em saber sobre o que era. Então, por acaso, assisti um vídeo no Youtube com uma resenha dele e fiquei bem interessada porque não só fala de um cenário pós-apocalíptico (coisa que eu simplesmente AMO) como toda a tragédia é causada por alienígenas, sinceramente uma combinação perfeita para mim.

Basicamente, a história é contada por alguns pontos de vista diferentes, mas os principais são os da Cassie, uma menina de dezesseis anos e Ben, um menino de dezessete.

No começo do livro, Cassie está totalmente sozinha, tendo sobrevivido às quatro primeiras ondas. Cada uma das ondas trouxe um tipo de exterminação diferente da raça humana. Por exemplo, a primeira das ondas foi um pulso eletromagnético que fritou todo e qualquer aparelho que utilizasse energia. Até carros pararam de funcionar, tudo ao mesmo tempo, o que claro resultou em muitas mortes.A 5ª Onda - Divulgação

Conforme o livro evolui, você vai descobrindo o que foram cada uma das ondas, como elas afetaram a humanidade em geral e também como elas afetaram pessoalmente cada um dos personagens que contam a sua história.

A estrutura do livro é interessante. Os narradores no audiobook também foram muito bons, o que me ajudou a entrar na história. Aliás, queria muito saber o que estava acontecendo, o que ajudou para que eu ficasse ouvindo muito mais do que normalmente faço quando estou no meio de um audiobook.

Achei a revelação do que é efetivamente a 5ª onda meio óbvia, mas nem por isso foi boba. Aliás, esse é um livro com algumas reviravoltas no enredo, mas não achei nenhuma delas surpreendentes, como eu acredito que o autor queria que fossem. Mas isso não quis dizer que eu não gostei, pelo contrário, a história é interessante.

Devo confessar que não fui muito fã das cenas de ação, mas acredito que seja mais por não ser meu tipo preferido de cena. Achei longas demais e muitas vezes apenas uma enrolação para chegar ao ponto final.

Fiquei interessada em ler a continuação. Além disso, esse é o tipo de história que tem um grande potencial para as telas de cinema, então provavelmente vou assistir o filme também, para conferir a adaptação.

E vocês, gostam desse tipo de livro?

Siga o blog nas redes socias:

Twitter | Facebook | Instagram

04
01
2016

Metas de 2016

Feliz Ano Novo para todo mundo que visita o blog! Com o ano começando, sempre vêm as metas a serem cumpridas. Eu particularmente gosto de me propor metas, pois é algo que me incentiva.

2016 vai ser um ano de muitas novidades aqui para o blog. Para ficar por dentro, sigam o blog nas redes socias: tem Twitter, tem Instagram, tem Skoob e tem Goodreads. Tô sempre por lá e adoro conversar com todo mundo, então não precisa ficar envergonhado!

De pertinho. #desafioprimeira #desafiofotográfico

De pertinho. #desafioprimeira #desafiofotográfico

Lá no Instagram, estou tentando participar do #desafioprimeira, o que para mim está sendo um verdadeiro desafio. Mas eu sempre gostei de fotografia e acabei me colocando essa meta de começar a praticar… ainda que eu ainda esteja aprendendo.

Falando em fotografia, vocês já tiveram aqui um post do 9 on 9, em que todo dia 09, um grupo de nove blogueiras posta nove fotos sobre um determinado tema. Logo teremos o segundo post da série, também.

9

Quanto às leituras, em 2016 uma meta muito séria que eu me propus foi expandir um pouco o meu universo de leituras. Uma das maneiras que encontrei para transformar essa ideia em realidade é participar de um projeto criado pela Reniére do blog Palavras Radioativas, que basicamente consiste em ler 12 livros sorteados (um por mês) de uma lista com as 100 leituras essenciais, segundo a revista “Bravo!”.

100

Vocês também vão ver por aqui os livros lidos que foram escolhidos pelo Clube do Livro Geek. É a primeira vez que eu faço parte de um clube do livro e estou bem entusiasmada para ver as novas experiências que ele vai me trazer! O primeiro livro escolhido foi Ubik, que eu já estou lendo!

ubik

Como vocês podem ver, nós teremos muitas novidades legais nesse ano de 2016. Espero que vocês continuem acompanhando o blog e os posts para ver se eu vou conseguir acompanhar tudo isso. *dedos cruzados*

27
12
2015

Acabei de Ler: Eu, Você e A Garota Que Vai Morrer – Jesse Andrews

euvoce

Livro que deu origem ao filme vencedor do Festival Sundance 2015, nas categorias Público e Crítica, com estreia marcada para 12 de junho nos EUA, Eu, você e a garota que vai morrer é uma mistura perfeita entre drama e humor e um retrato preciso da adolescência em face do amadurecimento.

Na trama, Greg tem apenas um amigo, Earl, com quem passa o tempo livre jogando videogame e (re)criando versões bastante pessoais de clássicos do cinema, até a sua mãe decidir que ele deve se aproximar de Raquel, colega de turma que sofre de leucemia. Contrariando todas as expectativas, os três se tornam amigos e vivem experiências ao mesmo tempo tocantes e hilárias, narradas com incrível talento e sensibilidade.

Crossover com enorme potencial no segmento young adult, o romance é perfeito para fãs de livros e filmes como “As Vantagens de Ser Invisível” e “A Culpa é das Estrelas”.

Título Original: Me and Earl and the Dying Girl 
Autor: Jesse Andrews
Editora: Fábrica 231
Páginas: 288
Avaliação: 2/5

Começo o post com a seguinte indagação: por que capas lindas acontecem com livros chatos? Aliás, a diagramação e os inícios dos capítulos desse livro estão perfeitos, também. Pena que o conteúdo não acompanha.

garota01

Eu, Você e A Garota Que Vai Morrer Jesse Andrews Capa

E sim, eu comprei esse livro pela capa. Ouvi algumas pessoas dizendo que haviam gostado do livro também, mas confesso que se a capa não tivesse me agradado tanto, não o teria comprado.

O que posso dizer desse livro? Sem dúvidas, é uma leitura que foge do padrão. Acho que nunca tinha lido um livro escrito dessa maneira. O personagem, Greg Gaines, conversa com o leitor o tempo todo. E a forma como ele conta os fatos, sempre incluindo suas opiniões pessoais e o que ele queria ter tido mas não disse, realmente é única. Em muitos pontos, é como se fosse um script, o que faz sentido, já que o Greg e seu amigo Earl criam filmes terríveis juntos (é assim que eles mesmos descrevem).

Tudo muda quando uma das meninas que estudaram com Greg é diagnosticada com leucemia e a mãe dele faz com que ele vá fazer companhia a ela.

garota02

Na verdade, o grande problema do livro é que é tudo muito estranho. O protagonista é estranho, a Rachel é estranha, o Earl é estranho… E até a maneira como a história é contada deixa o leitor incomodado. Não consegui em momento algum sentir uma conexão com qualquer um dos personagens.

A grande decepção desse livro é que em vários momentos eu quase gostei dele, mas logo em seguida eu já tinha mudado de ideia. É como se o autor estivesse determinado a fazer desse livro algo tão novo que deixasse para trás pontos básicos, entre eles o de explorar algo com que o leitor pudesse se identificar mais.

E o fim te deixa com uma certeza: você leu o livro mas ele não te levou a lugar algum. Quando acabei de ler, fiquei me perguntando qual a razão de ser desse livro tão… esquisito. Um dos piores do ano, com certeza.

Siga o blog nas redes socias:

Twitter | Facebook | Instagram

Skoob | Goodreads

19
12
2015

Acabei de Ler: Auggie & Eu – RJ Palacio

Quem já leu Extraordinário já conhece o Auggie. Ele é um menino que nasceu com uma deformidade facial e por conta de vários problemas de saúde, teve que se submeter a muitas cirurgias e acabou estudando em casa ao invés de ir para uma escola.auggie01

O livro Extraordinário é todo sobre o Auggie, contado em sua maioria por ele mesmo, mas também por outras pessoas que moram e convivem com ele.

Auggie & Eu não é, porém, uma continuação de Extraordinário. Acho que a melhor maneira de descrevê-lo seria como um livro que complementa sua história, porém, não é sobre ele.

Aqui temos três histórias contadas por pessoas que também conhecem Auggie, mas que vão contar suas próprias histórias e não mais a história de Auggie.auggie02

Em O Capítulo de Julian, a história é a versão de Julian, que nós poderíamos chamar de arqui-inimigo do Auggie em Extraordinário. Conhecendo melhor Julian e como é sua vida, conseguimos compreender melhor suas ações. Claro, não se justifica, mas dá para entender melhor o que Julian estava passando e como ele estava se sentindo.auggie03

Em Plutão, quem conta a história é Chris, que é o amigo mais antigo de Auggie e que é mencionado bastante em Extraordinário. Porém, como Chris se mudou para longe, não vê mais Auggie como antes. Ele conta a sua história, seus problemas pessoais e como ser amigo de Auggie afeta sua vida.auggie04

Por fim, Shingaling é contada por Charlotte, que era a terceira dos alunos que fizeram parte da comissão de boas-vindas ao Auggie (para quem não lembra, Julian e Jack eram os outros dois alunos). Charlotte nunca vira amiga realmente de Auggie e se mantém distante e neutra quando tudo acontece com ele. O interessante desse conto é ver como o grupo de meninas age e como muita coisa acontece na escola que o Auggie nem sonha que aconteça.

A RJ Palacio escreve pelo ponto de vista das crianças (ou seriam pré-adolescentes?) muito bem. Achei a decisão dela, de não escrever uma sequência para Extraordinário por acreditar que seria limitar a imaginação de vários leitores que já traçam o futuro de Auggie, muito interessante, ainda mais porque lhe deu a chance de explorar outros aspectos da história dele, fortalecendo ainda mais o universo que criou.

E Extraordinário é um livro maravilhoso que todos deviam ler, ainda mais por trazer um protagonista com deficiência. Auggie & Eu é uma delícia de ler também e merece uma chance. Definitivamente, uma ótima leitura.

Página 29 de 39«1 ...252627282930313233... 39Próximo