15
03
2018

O Homem de Lata – Sarah Winman

Recebi o livro O Homem de Lata da Faro Editorial, parceira aqui do blog. Desde que li a sinopse e procurei saber mais sobre o livro, fiquei encantada. Essa leitura sai um pouquinho da minha zona de conforto, mas com certeza traz uma mensagem importante. E hoje vim aqui compartilhar com vocês um pouco do que eu senti lendo.

 

Título OriginalTin Man
AutorSarah Winman
Editora: Faro Editorial
Páginas: 156
AdicioneSkoob | Goodreads

O Homem de Lata

A história foca em Ellis. É ele quem começa a contar. Logo que o conhecemos, já dá para perceber o quanto ele é desconectado de seus sentimentos. Não é que não sinta, mas simplesmente não dá a eles uma certa importância.

Ellis e Michael se conhecem ainda crianças e se tornam grandes amigos. E desde o começo, já existem sinais de que entre eles há mais do que uma simples amizade.

Mas Ellis perde a mãe muito cedo. A sua mãe é que tinha uma personalidade mais sonhadora. Ela que incentivava Ellis a pintar, por exemplo. Mas o pai de Ellis não concorda com isso. Ele é muito mais prático e mais tradicional e acaba passando isso para a sua família. A mãe de Ellis, Dora, acaba sufocada pelas visões rígidas do marido. Quando ficam só Ellis e o pai, o pai o convence a procurar as alternativas mais seguras, tanto no emprego quanto na vida.

Mas o relacionamento de Ellis com Michael, quando os dois ficam adultos, logo muda. E numa viagem para a França, o que eram alguns beijos e carícias fica mais sério. Os dois começam a se relacionar.

Poderia existir aí um final feliz, mas Ellis não tem coragem de assumir e acaba voltando para a Inglaterra, onde começa a trabalhar numa fábrica. Mais tarde, conhece Annie, por quem se apaixona e acaba se casando com ela.

Toda a história é contada de forma não linear, o que pode fazer o leitor estranhar os pulos temporais. E como não há indicações de que o momento mudou, é possível se sentir perdido em alguns pontos. porém, acredito que é algo essencial para a história.

Um quadro, um sonho, uma escolha

Logo no começo do livro, vemos Dora escolhendo entre os vários prêmios de uma rifa, uma réplica de um quadro de Van Gogh. Esse quadro é uma bela metáfora durante a história. Ele representa a vontade de ser livre, de viver mais intensamente.

Mas para ser livre, precisamos às vezes fazer escolhas que saem do comum. A felicidade muitas vezes nos exige atitudes que vão contra o nosso conforto. Temos que escolher ter um quadro com girassóis amarelos mesmo que nossa casa seja cinza. Falta a Ellis essa coragem.

Dora e Michael tentam encorajar Ellis a sair desse casulo. Mais tarde, Annie, esposa de Ellis, tenta fazer com que Ellis viva um pouco mais. Mas Ellis é o Homem de Lata do título: falta-lhe o coração.

Michael também conta a sua história, mostrando seu relacionamento com Ellis e o seu caminho após se afastar um pouco dele e da esposa, Annie. Mesmo os três tendo um relacionamento muito bom, Michael precisa de espaço. Ainda, ele esconde um segredo que não sabe se está pronto para contar.

O fim é um pouco triste, mas traz esperança. A jornada de Ellis é algo que só lendo para vivenciar e escolher para si as lições que sua história vai lhe trazer.

Esse livro foi cedido em parceria com a editora

Siga-me por aí:

Twitter | Facebook | Instagram

Skoob | Goodreads

avatar
16 Comment threads
16 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
17 Comment authors
Nina TavaresMilenaAndressa LedesmaSussurrando SonhosBruna Costabeber Recent comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Subscribe  
Notificar-me quando houver
Fernanda Santos Barroso

Olá!

Não sei se entendi bem sobre esse relacionamento e essa coisa dos três. Eles se relacionam ao mesmo tempo? Ler Ellis muitas vezes me deixou um pouco confusa e acho que não consegui pegar muito bem a essência da história. Parece ser sobre descobertas de si mesmo e tudo mais. Passo a dica porque não compreendi muito bem sobre a trama…

Abraços

Beatriz Andrade

Eu estou bem curiosa com esse livro, acho que a premissa dele é muito interessante e espero gostar se eu for ler, mas acredito que alguns pontos poderiam ser mais cansativos para mim.

Alice

Oiiieee

Acho que pode ser um livro interessante pra quem curte o gênero, me aprece ser um livro daqueles mais reflexivos, que fazem o leitor se questionar. De momento não me chama muito a atenção, ando numa fase meio “fantasia fantasia” mas quem sabe futuramente…

Beijos

http://www.derepentenoultimolivro.com

Viviane Almeida

Oi Mari, como vai?
Eu já li algumas resenhas desse livro mas, ainda não tive a oportunidade de lê-lo.
Uma amiga me indicou cinco livros de romance homossexual e um deles é esse, fiquei muito curiosa para saber como será o desenvolvimento dessa história de amor, espero que seja diferente dos livros românticos que já li, perdi um pouco o interesse por esse gênero justamente por que os livros são muito iguais para mim.

Beijos e abraços
http://vickyalmeida.blogspot.com.br/

Dayhara Ribeiro Martins
Dayhara Ribeiro Martins

Eu li sua resenha inumeras vezes só pra tentar ter algum spoiler da história e saber se eu gostaria ou não da leitura mas só consegui ficar ainda mais curiosa, então de certa forma você conseguiu, tô conquistada pela obra! Hahaha adorei sua resenha.

priscila

Aaah, não sou muito chegada em histórias com finais tristes, mas essa mexeu um pouco comigo, acho que pq me encontrei um pouco na historia, me vi em alguns momentos só na resenha. Acho legal essa escrita não linear, li um assim certa vez e achei divertido esse vai e volta.
Bjos floooor

http://cariocadointerior.com.br/

Franklin S. Carter

Olá, tudo bem? Espero que sim!

Achei um tanto quanto intrigante e interessante a história em questão, mas demorei pra entender se “Ellis” era homem ou mulher kkkkkk. Amei sua resenha e a maneira com a qual abordou o tema, está de parabéns. Muito sucesso a você e ao blog!

Carinhosamente,
Franklin S. Carter ♥
http://franklinscarter.com.br

Laneh Martins

Olá, tudo bem?

Não conhecia essa obra e confesso que não me interessei muito. Porém gostei do que li. É um pouco contraditório. Vou anotar a dica, e quem sabe em um futuro eu dê uma chance. Não é o tipo de história que costumo ler, mas vamos dar novas oportunidades.

Beijos

Camila de Moraes

Olá!
Eu vi esse livro nas redes sociais, mas não me chamou muito atenção pela capa. Lendo sua resenha pude perceber que é uma história bem bonita e triste, não imaginaria que era assim e fiquei com vontade de conhecer essa leitura.
Beijos!

Cabine de Leitura

Gosto dapremissa desse livro e fico bem curiosa quanto a esperança do desfecho e a mensagem que ele apresenta, mas com certeza me confundiria esses pulos temporais. Quem sabe um dia eu leia.

Abraços.

Jéssica Melo

Olá Mari, não conhecia esse livro, mas pelos seus comentários ele parece bem diferente, só me incomodou que você comentou que as vezes não fica claro onde ocorre o pulo de tempo =/ Enfim, vou anotar a dica.

Bruna Costabeber

Olá Mari,
Adorei sua resenha, pois acho que você compreendeu esse livro de uma forma diferente da que eu vi. Eu vi Michael como um Homem de Lata, mas eu o vi mais como sem atitude do que sem coração, sabe? Achei muito legal a forma como você escreveu e suas fotos, foi uma leitura que me agradou e me fez pensar 🙂
Beijos,
http://www.umoceanodehistorias.com/

Sussurrando Sonhos

Esse livro está dano no que falar e só vejo opiniões maravilhosas dele. Amo livros reflexivos que nos mostra o valor da esperança e de muito mais. Com toda certeza eu leria esse livro e é mais para a minha lista imensa.

Parabens pela resenha!

http://sussurrandosonhos.blogspot.com.br/

Andressa Ledesma

Essa é a segunda resenha que eu leio do livro, e me arrependo profundamente de não ter solicitado para ler e resenhar. A trama é de uma sensibilidade, né ? Fiquei muito interessada na leitura, e gostei de saber que a jornada de Ellis acaba nos fazendo refletir.
beijos

Milena
Milena

Oi!
Não conhecia o livro ainda, mas sempre anoto as indicações quando vejo que o livro oferece algum tipo de lição, ensinamento. Dica anotada. Parabéns pela resenha.
Beijos

Nina Tavares

Oi Mari, tudo bem?
Adorei o livro e a analogia que ele faz entre o quadro, o título e a necessidade do personagem em viver mais intensamente. Fiquei super curiosa para ler.
Bjs!