11
10
2021

Como Manter Um Journal ou Diário

Vocês já conhecem meu reading journal, afinal eu posto as atualizações dele por aqui mensalmente. Mas além dele, também tenho mantido algo que eu chamo de life journal, mas que pode ser chamado de diário. Sabe, aqueles diários que a gente costuma manter quando criança? Bom, pelo menos eu tentei quando era criança, porém nunca com muito sucesso. Depois de algumas tentativas fracassadas, acabei desistindo. A vida continuou e acabei esquecendo a ideia. Porém, com esses últimos tempos, acabei sentindo uma necessidade de escrever sobre os meus dias. E por isso, após seis meses criando uma rotina, resolvi contar para vocês alguns motivos para se manter um diário.

Como Comecei Meu Journal

Como eu já expliquei, eu chamei o meu de life journal, ou somente de journal. Isso porque o nome diário me lembrava muito o sentimento de obrigação de escrever todos os dias, algo que eu não tinha conseguido fazer. Então aproveitei que já tinha o reading journal e dei o nome de journal, pensando que se por acaso não conseguisse escrever todos os dias, pelo menos não era um diário. Pode parecer muito bobo, mas foi como meu cérebro chegou a essa conclusão e quer saber? Funcionou. Durante os últimos seis meses, todos os dias, no final do dia, eu enchi uma folha do meu journal. Seja para contar os acontecimentos do dia, seja para simplesmente colocar para fora tudo o que eu senti durante o dia.

Motivos Para Se Manter Um Journal/Diário

Esse é um dos principais motivos para se manter um diário. Colocar para fora os sentimentos que às vezes ficam entalados dentro da gente. Muitas vezes, nós não podemos falar sobre tudo que sentimos. Outras não temos tempo para analisar e entender todos os nossos sentimentos. Esse é o momento da minha rotina quando, ao colocar em escrito, eu processo tudo que senti durante o dia.

Se num primeiro momento isso lhe parece estranho, garanto que a prática vai ajudar bastante. Na correria do dia a dia, sentir é algo que mal temos tempo de fazer. Mas quando paramos para descrever para nós mesmos tudo que sentimos, tudo parece fazer sentido. Eu consigo entender melhor porque reagi a alguns acontecimentos da maneira como reagi. Eu processo tudo o que aconteceu, quase como se revivendo as situações, e consigo analisar como se fosse uma pessoa de fora.

Registrando Memórias

Outra vantagem de se manter um diário é poder relembrar o que aconteceu durante o dia. Memórias são muito fáceis de se perderem, principalmente quando são de eventos pequenos. Num diário, você tem a oportunidade de registrar até as pequenas coisas, o que é interessante. Até porque às vezes são os pequenos momentos que são mais importantes para você e eles costumam ser os primeiros a serem engolidos pela rotina do dia-a-dia.

Eu tenho gostado muito de manter o meu life journal. Como já faz mais de seis meses, já consigo olhar para trás e ler algumas das entradas para lembrar de momentos que teriam se perdido. E claro, você pode usar como quiser. O legal de ter um diário ou um journal é que ele pode ser utilizado e personalizado para atender exatamente as suas necessidades. Não há regras.

Dicas Para Quem Quer Fazer Um Journal

Se você quiser começar com esse hábito, aqui vão algumas dicas:

  • Determine seu objetivo para seu journal/diário

Seu objetivo pode ser para falar sobre seus sentimentos, escrever suas ideias mais malucas, fazer listas do que quer que você queira, ou ainda simplesmente soltar sua criatividade. O que interessa é você ter uma clara visão do que quer com seu journal. Pode ser para um motivo específico ou para vários. Você pode começar com um objetivo único mas mudar de direção se sentir que precisa.

  • Escolha a ferramenta que vai usar

Um journal pode ser escrito num caderno, pode ser feito de forma virtual. Não precisa nem ser algo novo, pode ser algo barato ou que você já tenha em casa. Para fazer um diário num caderno, por exemplo, tudo o que você precisa é de um caderno simples e uma caneta. Qualquer coisa além disso é opcional. Se virtual, existem vários sites online onde você pode escrever e gravar seus pensamentos. Claro que também existe a opção de abrir um arquivo no Word ou qualquer outro software de escrita e gravar no seu computador.

  • Seu Journal é para você

Um journal não é um livro de memórias ou um simples registro de tudo o que acontece. Eu acho interessante lembrar que não estou escrevendo algo para ser publicado ou mesmo para alguém ler. Pelo contrário, estou escrevendo algo para mim. Isso me ajuda a não ter nenhum tipo de vergonha na hora de escrever, mas a ser completamente honesta. Esse é meu espaço seguro, portanto posso ser eu mesma.

  • Não tenha medo de errar

Isso vale para qualquer projeto que você quiser fazer nesse sentido. No começo, eu olhava os vídeos no youtube e as postagens no instagram sobre bullet journal e pensava que nunca ia fazer igual.

Mas a verdade é que se a gente não começa, nunca evolui. Meu reading journal mudou demais desde o começo do ano. Mas ele não é perfeito. Isso porque eu erro muito fazendo as páginas. A mesma coisa acontece com meu journal. É comum eu errar ou não ficar exatamente do jeito que eu queria, mas tudo bem. Na maioria das vezes, dá para fazer alguma gambiarra e arrumar. Além disso, como usar um journal de maneira plena sem experimentar?

  • Seja criativo

É importante se sentir à vontade para criar no seu journal. Podem ser listas, desenhos ou rabiscos, porque o importante é que você pode expressar o que quiser no seu espaço. Seu journal será uma zona livre de julgamentos, portanto seja honesto.

  • Crie um hábito

O ideal é que você inclua um momento para escrever na sua rotina. Claro, sem forçar. O journal não deve se tornar uma obrigação mas sim um momento seu. Se naquele dia você não quis escrever, não escreva. Quer fazer uma borboleta no canto da página? Faça. O journal é seu.

  • Coloque datas em tudo

Isso é para você ter ideia da linha do tempo. No caso de cadernos, uma boa ideia é escrever a data de início e a data de fim do uso daquele caderno. Dessa forma, fica mais fácil entender qual a ordem dos journals que você eventualmente utilizar.

  • Escreva com caneta e escolha um caderno que vai durar

Isso é um ponto importante na hora da escolha dos materiais para o journal. Afinal uma das vantagens de se manter um registro das memórias é que esse registro dure algum tempo. Um caderno que acabe perdendo as folhas com facilidade ou escrever de lápis que pode apagar com o tempo não vai garantir que essas memórias possam ser revividas daqui a um tempo.

  • Deixe sua letra mostrar suas emoções

Nossa letra muda conforme estamos nos sentido naquele momento. Esse é um dos motivos pelos quais escolhi um journal em papel ao invés de usar uma versão digital. A maneira como escrevemos também é uma forma de registrar, uma que não utiliza as palavras propriamente.

E essas são apenas algumas dicas de como usar um journal e um pouco sobre como eu uso o meu. Espero que tenha dado algumas ideias para quem quiser começar um também. Como você usaria o seu?

Siga-me por aí:

Twitter | Facebook | Instagram

Skoob | Goodreads

Subscribe
Notificar-me quando houver
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

1 Comentário
Inline Feedbacks
View all comments
trackback
2 meses atrás

[…] tenho um journal diário há 3 anos. Já comentei sobre ele algumas vezes aqui no blog, mas sim, é basicamente um diário. Eu todos os dias durante os últimos três anos paro e escrevo […]