15
12
2017

Kobane Calling – Zerocalcare

Quando falei para vocês sobre O Melhor Que Podíamos Fazer, comentei como estava gostando de ler graphic novels. A parceria do blog com a Editora Nemo rendeu mais uma leitura de quadrinhos: Kobane Calling. Nessa graphic novel, o quadrinista italiano Zerocalcare conta como foi parar no meio da guerra da Síria. Usando de um humor sarcástico, ele relata através de sua arte as viagens que fez para o local de conflito. Em especial, nos conta sobre a vida em Kobani, cidade que conseguiu expulsar o Estado Islâmico. No post de hoje, conto para vocês um pouco mais sobre essa leitura.

Título OriginalKobane Calling
AutorZerocalcare
Editora: Nemo (Grupo Autêntica)
Páginas: 272
AdicioneSkoob | Goodreads

Kobane Calling – Ou Como Fui Parar no Meio da Guerra na Síria

Primeiro, é necessário explicar porque o título é Kobane Calling, sendo que a cidade é Kobani. Logo no começo, o tradutor da graphic novel explica que decidiram manter o título original em inglês, mas a grafia do nome da cidade em português é Kobani. Por isso, nos quadrinhos, só lemos Kobani com i no final mesmo.

Zerocalcare ilustrou toda a sua viagem para a Turquia, Iraque e Curdistão Sírio. Ele explica como foi para lá ajudar a resistência curda e como se utilizou da viagem para conhecer as pessoas envolvidas no conflito. Algo que ele critica bastante é a forma como a mídia mostra a guerra na Síria. Ele deixa claro que seu objetivo não é achar um lado bom ou mal na guerra, mas mostrar a humanidade por trás disso.

A leitura dá a entender que na Europa vários políticos se utilizam da guerra na Síria em suas campanhas eleitorais sem nem ao menos saber o que se passa. Essa é outra crítica que Zerocalcare faz ao longo de seu relato. Os motivos para a guerra na Síria são complexos. Vários povos e interesses estão em jogo ali. E por causa disso, muitas vidas estão sendo perdidas.

Kobani é uma cidade no meio do conflito. O Estado Islâmico tomou a cidade mas os resistentes curdos conseguiram tomar ela de volta. Porém, por estar num local bastante estratégico, muitos querem tomar o lugar. E hoje Kobani está sendo reconstruída, pouco a pouco.

É legal conhecer mais a fundo a história para tentar entender melhor os conflitos. Não vou nem tentar explicá-los aqui, pois não conseguiria chegar numa explicação razoável, mas confesso que entendi muito melhor após a leitura. Por isso, recomendo bastante.

O Exército de Mulheres Curdas

Uma das informações mais valiosas dessa leitura é o relato sobre a participação feminina na guerra. Kobani conta com um exército de mulheres curdas. O que é engraçado, pois sempre ouvimos dizer que as mulheres da região são todas oprimidas. E Zerocalcare conheceu um lado diferente da história. São as mulheres que lideram a resistência.

Existem grupos para acolher as mulheres, para ensiná-las a lutar e também para que elas estudem. Muitas são acolhidas após fugirem de suas famílias, que as vendem para casamento com homens bem mais velhos. Dentro dos acampamentos onde vivem e são preparadas para a luta, vivem felizes. E conhecer essas histórias mostra uma realidade bem diferente daquela que costumamos imaginar.

 

O Humor Como Narrativa

O que faz dessa leitura prazerosa, apesar de se tratar de um assunto tão pesado, é a forma como Zerocalcare conta a história. É totalmente autobiográfico, ou seja, ele conta todos os momentos da sua viagem. Inclusive contar para a sua mãe que vai para um local de conflito. Durante a história, vários personagens aparecem, como por exemplo uma versão bem mais adulta de George, o irmãozinho da Peppa Pig. Não, você não leu errado. Zerocalcare se utiliza de George para que ele o questione durante a história.

Em alguns momentos, quando a identidade das pessoas não podia ser revelada, elas são representadas por desenhos de lentilhas, por exemplo. É uma maneira de trazer um pouco de leveza à história e também de explicar tudo o que aconteceu.

Gostei muito de ler essa graphic novel pois aprendi muito sobre essa guerra que normalmente só vejo pela TV. São vidas e histórias que se perdem entre tantas notícias nos jornais. Não vou mentir, me emocionei bastante. E ainda acabei pesquisando um pouco mais sobre Kobani e a situação que eles vivem por lá, indo um pouco além das notícias.

E vocês, já leram algo sobre a guerra na Síria?

Esse livro foi cedido em parceria com a editora. 

Siga-me por aí:

Twitter | Facebook | Instagram

Skoob | Goodreads

avatar
18 Comment threads
18 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
19 Comment authors
Carolina RamiresMariLarissa - Srta. BookaholicBeatriz AndradeCamila de Moraes Recent comment authors
  Subscribe  
Notificar-me quando houver
Karoline Lima

Oii, Mari.
Nós sempre vemos notícias nos jornais sobre a guerra e, realmente, não sabemos a realidade de lá. As notícias são todas meio superficiais, só sabemos que tudo é “muito triste”. Fiquei pensando algumas vezes sobre como deve ser a realidade. Apesar disso, nunca li algum livro sobre a guerra, sempre tive a visão que iam ser leituras chatas – sei que devo estar errada. Mas Kobane me interessou de verdade, ainda mais pela forma que você falou sobre os pontos que o autor relata <3 vou buscar pra ler, imediatamente.

Thainá Christine

Adoro quando as leituras trazem um conhecimento a mais para o leitor, seja em questão de História ou até mesmo um agregamento pessoal. Admito que o ponto que mais me interessou nesse quadrinho, além, é claro, da história toda em si, foi saber mais desse outro lado das mulheres, saber que lutar era uma forma de liberdade enquanto o casamento era uma opressão. Fiquei curiosa para conferir o quadrinho todo.

Gessica Machado

Achei muito interessante essa resenha. Nunca havia visto falar do livro e muito menos quadrinhos que tratasse de um temas polêmicos, politica, telemarketing…Confesso que ainda sou um alien nesse tipo de leitura. Mas enfim, achei tudo muito interessante e concordo com o autor, a mídia distorce tudo ao favor de poderes maiores. É por isso que muitas vezes não gosto de assistir Jornal.

Blog: http://naturezaliteraria.blogspot.com.br/?m=1

Kah Fernandes
Kah Fernandes

Eu nunca li Grafic mas confesso que acho muito interessante a forma que é construído. Ainda não encontrei um que me chame a atenção mas espero em breve conseguir encontrar uma história nesse sentido para ler. Adorei sua resenha, parabéns.

Beijos

Larissa Dutra

Olá, tudo bem? Eu nunca li uma graphic novel, porém tenho bastante curiosidade, já que vejo o pessoal falar super bem. Não conhecia esta obra ainda e adorei conhecer. Ótima resenha!

Beijos,
http://duaslivreiras.blogspot.com.br

André Santos
André Santos

Adorei a resenha. Muito instrutivo e inteligente a HQ, pois trata do assunto tão pesado. Nós revelando mais sobre a guerra, uma conflito tão incessante.

Bianca Rocha

Oie
Adorei a premissa dessa Hq, já até marquei no Skoob como “quero ler” kk Parece ser muito bom. Não sei muito sobre essa guerra, a não ser as informações na TV. Muito interessante ver que uma Graphic Novel fala sobre uma guerra, pois geralmente são leituras mais leves. Adorei a resenha.
Bjos, Bya!

Alice

Oiii Mari

Eu sou super curiosa em conferir esa graphic novel, super admiro o povo curdo principalmente as mulheres que tem lutado muito e sido heroínas de verdade nessa guerra doida que ocorre na Síria. Acho uma leitura super válida, e admiro como o autor soube usar o humor aliado ao seu testemunho de um evento tão trágico, curiosa pra conferir essa mescla que ele criou.

Beijos

http://www.derepentenoultimolivro.com

Por Amor aos Livros

Olá! Eu sempre via notícias em jornais, mas uma vez eu consegui entender melhor por um vídeo de um youtuber que explicava de uma forma menos complexa o que estava acontecendo por lá. É uma situação realmente muito triste e angustiante, e foi legal o autor desse graphic novel usar de um pouco de humor para amenizar as coisas. Adorei sua resenha, conseguiu nos passar com leveza o que o livro mostra.

Um beijo, Pri :*

Eliziane Dias

Nossa! Fiquei muito impressionada com a preciosidade que você tem nas mãos e já fui logo pesquisando na net o valor dele. Sinceramente eu ando bem desligada sobre o que anda acontecendo na Síria e ao redor do mundo todo. Acho que estou tentando me alienar para não sofrer já que isso tudo me sufoca muito. Na verdade, eu nunca imaginei que poderiam ter elementos honrosos e esperançosos saindo destes conflitos na Síria. Este outro olhar trazido pelo livro é uma surpresa para mim. Sabe, a mídia e as redes sociais só divulgam as tristezas, a violência, as mortes, os… Ler mais

Marcia

Olá, menina! Parece ser show a leitura o assunto muito me interessa. Eu não tenho o hábito de ler Hqs, não pq não goste (na verdade nem tenho propriedade pra isso) por isso creio que vá ser uma leitura nova para mim.
Parabéns pela resenha. Bjs

Nilda de Souza
Nilda de Souza

Eu amo graphic novel que trazem reportagem em quadrinhos. Meu primeiro contado com esse tipo de leitura foi com Joe Sacco, em Nota sobre Gaza e Palestina. Que eu super indico. São leituras que trazem o lado humano de quem vive em meio a guerra.
Já anotei aqui sua dica de leitura.

Maria Luíza Lelis

Oi, tudo bem?
Eu não gosto muito de ler quadrinhos/graphic novels, por isso, não conhecia esse ainda. Achei a premissa interessante, até por se tratar de um assunto que conheço muito pouco. Além disso, achei interessante o fato de, mesmo com um tema tão pesado, o autor ainda conseguir contar sua história pessoal com leveza.
Adorei a resenha e, mesmo sendo um gênero que não gosto muito, vou anotar a dica.
Beijos!

Alessandra
Alessandra

Nossa, que interessante.
Ainda não conhecia essa Graphic Novel, mas fiquei empolgada demais com sua resenha. Gostei de saber que se trata de uma história que vai me possibilitar conhecer melhor a realidade de Kobani, que eu confesso não saber nada.
Adoro a possibilidade de descobertas através de uma leitura fácil e descomplicada.

Camila de Moraes

Olá!
Ainda não consegui decidir se leria esse livro. O assunto em si não me atrai pra leitura, mas sua resenha ficou muito e deu para perceber que o autor soube colocar temas e uma luta de pessoas em busca de dias melhores. De repente em algum momento pode ser que eu me decida.
Beijos!

Beatriz Andrade

Eu tenho gostado cada vez mais de ler graphic novel. Eu ainda não li essa, mas se eu já estava curiosa agora com a tua resenha eu estou ainda mais. Parece ser uma ótima leitura e espero ler em breve.

Larissa - Srta. Bookaholic
Larissa - Srta. Bookaholic

Oi, tudo bem?
Eu não conhecia esse livro ainda e confesso que não costumo ler graphic novels, mas fiquei bem curiosa com o enredo e a diagramação ta uma graça.

Beijos :*

Carolina Ramires
Carolina Ramires

Olá!
Eu fiquei muito interessada nessa obra, principalmente por falar de um assunto que eu não conheço muito e usar esse humor como ferramente. Triste saber que vários políticos europeus usam essa situação triste para conseguir alguma coisa. Amei a sua resenha!
Beijos.