18
11
2018

Demons of the Punjab – Doctor Who S11E06

O sexto episódio da décima-primeira temporada de Doctor Who foi Demons of the Punjab. Esse foi mais um episódio que se passou no passado. Para ser mais específica, na Índia, num momento histórico importante e também triste: a partição. Um episódio que como Rosa vem cumprir a promessa do novo showrunner, Chris Chibnall, de trazer de volta o aspecto educacional da série. Apesar de algumas críticas, eu particularmente gosto bastante desses episódios que ensinam sobre momentos históricos. Fiquei bem feliz com Demons of the Punjab e hoje compartilho com vocês minhas impressões sobre o episódio.

Divulgação BBC

A História de Demons of the Punjab

Essa história se passa na Índia, em Punjab, 1947, quando aconteceu a partição. Basicamente, foi quando a Índia foi repartida e o Paquistão criado, numa tentativa de separar hindus e muçulmanos. Mas claro que não foi algo pacífico, até porque mais uma vez era algo imposto por terceiros. Nessa época, houveram muitos conflitos e muita gente morreu. Muitas pessoas foram obrigadas a deixarem suas casas para irem morar em outro lugar, o que não foi aceito pacificamente.

A Doutora e seus amigos vão parar lá quando Yasmin pede para a Doutora para conhecer a própria avó quando esta era mais jovem. Yaz quer entender o que tanto a avó não quer contar para ela. A curiosidade aumenta quando sua avó lhe dá um relógio antigo e quebrado que nunca deve ser consertado. Porém, a avó não lhe diz mais nada a respeito.

Mesmo com tudo o que vai contra conhecer pessoas da própria família (olá, Father’s Day, da primeira temporada), a Doutora acaba aceitando. Mas logo que chegam, algo interfere no cérebro da Doutora. Ela logo percebe que algo estranho está acontecendo ali. Yaz logo fica cheia de dúvidas, pois descobre que sua avó, Umbreen, está para se casar… Mas não com seu avô. Yaz nunca soube que a avó teria sido casada antes com outra pessoa.

E ainda tem mais.

Logo, a Doutora e seus amigos descobrem que a união entre Umbreen e Prem não é algo aceito normalmente. Ela é muçulmana e Prem, Hindu. No contexto histórico da partição, o casamento dos dois é ainda mais polêmico. Mas os dois estão apaixonados e decididos a se casarem.

Para completar a confusão, os habitantes do Punjab estão recebendo a visita de demônios. A Doutora logo percebe tratarem-se de alienígenas, mas o que estariam fazendo ali? Por que parecem que estão assassinando os locais? Porém, ao investigar, logo percebem que nada é o que parece ser.

Divulgação BBC

Assistindo os Demônios de Punjab

Esse é mais um episódio tocante. Primeiro, por trazer um momento histórico importante e triste, mas que não é comum aparecer como tema. Eu não sabia quase nada sobre a partição, mas aprendi muito com esse episódio. Normalmente, a história que é considerada material para tema de séries de tv é aquela que conta sobre os países europeus ou os EUA. Não vemos muito sobre a história de países fora desse eixo. Mas aqui a partição, mais do que ser tema, é contada através do ponto de vista das pessoas que sofreram com isso.

Segundo, por focar em pessoas comuns. O que a gente vê não são as consequências de um modo geral, mas como as ações afetam famílias simples. Como a violência acaba mudando a vida de pessoas comuns, que sonham em se casar e terem filhos.

Mais uma vez, a Doutora não interfere no curso da história. Apesar de saber que Prem não é o avô de Yaz, ninguém tenta interferir no casamento, pois é óbvio que ele tinha que acontecer. E uma conversa entre uma Yaz triste porque a avó não lhe contou sobre Prem e Graham é um dos pontos altos do episódio. Graham lhe diz que a Umbreen que eles vêem ali na Índia não é ainda a avó de Yaz e tenta fazer com que ela entenda as razões de sua avó.

Divulgação BBC

Sobre a importância de se viver o luto

Nesse episódio, mais uma morte acontece. E a pessoa que morre continua morta. Em Doctor Who, com a possibilidade de viagem no tempo e outras coisas fantásticas, algumas vezes isso ficou para trás. Existem vários exemplos anteriores que mostram pessoas que morrem e são magicamente trazidas de volta. Com Chris Chibnall, porém, as pessoas morrem e é dado aos demais personagens a possibilidade de se viver o luto.

Sim, Doctor Who é um programa familiar, e isso quer dizer que é escrito também para crianças. E cada um dos escritores levam isso em consideração. Porém, a morte é parte da vida. E mostrar a morte e logo depois voltar atrás não faz bem para ninguém. Agora, mostrar a morte de personagens e dar-lhe a devida importância é algo essencial. Deixar que os demais personagens sintam a tristeza da partida, que eles vivenciem isso, é saudável. Uma série que não tira o peso de uma morte e que mostra as suas consequências na verdade ajuda as crianças a lidar com isso. E por algum tempo, em Doctor Who, isso tinha virado brincadeira. O impacto de uma morte tinha sido menosprezado. Isso me incomodava bastante e fico feliz de ver uma mudança nesse sentido.

Concluindo

Eu amei esse episódio. Não foi tão bom quanto Rosa, que para mim continua sendo o melhor dessa temporada até agora. Mas com certeza foi mais um episódio que trouxe um pouco da essência de Doctor Who que eu amo tanto. Também foi muito bom ver a Yaz com um pouco mais de espaço. No geral, um ótimo episódio.

Como Assistir a 11ª Temporada de Doctor Who

A 11ª temporada de Doctor Who está sendo disponibilizada pelo serviço de streaming Crackle. O primeiro e o segundo episódios estarão liberados para todo mundo no site doctorwho.crackle.com. Depois disso, só para os assinantes. Assine o Crackle através de sua operadora. Você encontra todas as informações aqui. Eu, por exemplo, fiz minha assinatura pela Oi, por causa do meu celular.

Siga-me por aí:

Twitter | Facebook | Instagram

Skoob | Goodreads

avatar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Subscribe  
Notificar-me quando houver