07
08
2019

O Que Eu Aprendi Sobre Parcerias Com Editoras

Esse vai ser um post super sincero sobre a minha experiência com parcerias com editoras. Não vou citar os nomes porque esse não é o objetivo. Vou é conversar um pouco sobre tudo o que eu aprendi nesses oito anos mantendo o Pequenos Retalhos. E nem sempre são sobre parcerias que o blog fez; em alguns casos são experiências que tive através de outros meios. Aviso para já desanimar alguém que pode querer tentar adivinhar de que editora estou falando. Mas sim, em alguns casos, se você participa desse meio há algum tempo, vai lembrar das histórias.

três livros abertos

Tem parcerias que não valem a pena manter.

Quando a gente recebe um e-mail dizendo que nosso blog foi selecionado pela editora x para ser parceiro por um ano, a primeira reação é felicidade. É muito bom ser reconhecido pelo seu trabalho. Mas o que acontece na maioria das vezes é que é nesse momento que você recebe as regras da parceria.

Toda parceria tem regras. Por ser uma parceria, é claro que ambas as partes vão ter seus deveres. E isso muda bastante de editora para editora. Algumas editoras acabam exigindo do blog muito mais do razoável. E por isso, nem sempre, vale a pena manter a parceria. Aqui vão alguns motivos para não manter uma parceria.

1. A editora não disponibiliza o catálogo inteiro para o parceiro.

O que eu particularmente considero razoável: colocar o catálogo à disposição do blogueiro para que ele escolha os livros que acha interessante ler. Exigir que o blogueiro poste sobre os livros que foram requisitados dentro de um período de tempo. E acho que é isso. Detalhes como número de livros com pendência ou quantos livros podem ser pedidos por vez mudam de acordo com a editora.

Porém, algumas editoras não aceitam que você peça qualquer livro do catálogo. Elas limitam os livros que podem ser pedidos para aqueles que são lançamentos. Isso é errado porque nem sempre naquele mês vai existir um lançamento que se encaixe no seu perfil.

2. A editora exige um post por mês.

Outras exigem um post por mês, mesmo quando não mandam livro nenhum. Alguns desses posts devem ser sobre os novos lançamentos. E aí, sabe o que acontece? Um monte de post com “Os Lançamentos de Junho da Editora XYZ”. Em vários blogs diferentes. Com exatamente o mesmo texto, porque só dá para copiar a sinopse. Afinal, como escrever sobre um livro que você ainda não leu e que às vezes nem é do seu interesse?

Além disso, blogueiro literário não é máquina. Sim, nós devemos ter o dever de escrever sobre o livro enviado e isso deve ser feito dentro de um prazo razoável. Mas forçar o blogueiro a escrever qualquer coisa? Isso é receita certa para post vazio, sem opinião e sem emoção.

3. Os livros disponibilizados para resenha tem quantidade limitada. E acabam rápido.

Isso é um dos pontos que mais me incomodou em algumas parcerias que tive. Algumas editoras disponibilizam um número exato de livros e nenhum a mais. Aí, os que tiverem sorte de ler o e-mail/acessar o post do Facebook primeiro recebem e os outros ficam a ver navios. Normalmente, quando esse é o método da editora, ela só disponibiliza os lançamentos e não o catálogo todo. E só vai disponibilizar aquele título naquele momento, sem segundas chances.

Ou seja, você é parceiro da editora e já leu e resenhou o primeiro livro da série. Porém, como ela disponibilizou trinta livros apenas da continuação, pode ser que algum outro blog que nunca leu aquela série receba o exemplar e você não. Confesso: não renovei parceria com uma editora por conta disso. E não me arrependo.

livro aberto

4. A editora manda lançamento de surpresa para você (YAY!). Mas exige que você escreva sobre ele, mesmo que não seja do seu interesse.

Não sei se todo amigo blogueiro literário tem disso, mas eu planejo os posts no blog. E para fazer esse planejamento, levo em conta os títulos que requisitei para fazer as resenhas. Então, quando são títulos escolhidos por mim, maravilha. Mas quando a editora manda um livro de surpresa para você e quer que você escreva sobre ele, isso pode atrapalhar.

Aliás, não é porque eu gosto de livros do gênero x que vou me interessar por todos os livros daquele gênero. Um exemplo? Eu já li muito livro de fantasia na vida. Se você procurar aqui no blog, vai encontrar posts sobre vários. Mas eu não leio Cassandra Clare. Eu não gosto da maneira como ela escreve, não gosto de como ela desenvolve seus personagens… Então, eu simplesmente não leio. Se a editora mandasse um livro dela para mim, eu iria odiar ter que postar sobre ele.

Não é justo que a editora exija um post sobre um livro que você não escolheu. O pior é que essa questão é muito fácil de resolver: manda um e-mail para o parceiro antes, perguntando se ele gostaria de ler o livro x. Pronto.

5. A editora acha que pode exigir tudo apenas por disponibilizar os livros.

Uma parceria é uma troca. É algo que beneficia os dois lados. Já falei algumas vezes aqui no blog, mas não custa repetir: os livros que o blogueiro recebe não são enviados por caridade. A editora envia porque precisa do blogueiro para apresentar o livro para um grupo específico. É uma maneira ótima para a editora como empresa manter parcerias. Assim, ela fala diretamente com o público-alvo e tem um material de qualidade produzido por alguém que ama ler e falar sobre suas leituras.

E claro que sou grata pelas parcerias. Mas tem que existir uma contrapartida. Não é só por enviar livros para o blogueiro que ela pode exigir que ele mude a maneira como escreve ou divulga seu material. Muito menos pode exigir que o conteúdo produzido contenha apenas opiniões positivas para a editora.

Eu achava que isso era básico. Não é. Existe editora que ainda tenta fazer o produtor de conteúdo se sentir culpado pelas considerações que faz. E é ridículo isso. Mas acontece.

Momento Amorzinho Pelas Minhas Editoras Parceiras

Ainda bem que as parcerias atuais do blog (Faro Editorial e Editora Fundamento) são parceiras de verdade. Levam o trabalho do produtor de conteúdo a sério. Promovem seus parceiros, seja em suas redes sociais, seja em seu site oficial. Disponibilizam seu catálogo inteiro para escolha dos livros e mantém uma ótima comunicação com os parceiros. Sério, eu estou muito feliz de poder trabalhar com elas para trazer para vocês um conteúdo de qualidade.

E é isso. Esqueci alguma coisa? Lembrou de alguma situação para contar aqui? Deixa aí nos comentários, vamos partilhar experiências.

Siga-me por aí:

Twitter | Facebook | Instagram

Skoob | Goodreads

avatar
7 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
7 Comment authors
Kelly Alves P.D.IKênia CândidoYelloobowTay RibeiroJoana Darc Recent comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Subscribe  
Notificar-me quando houver
Helana
Helana

Oi Mari, achei sincerão e até tenho um post desse para colocar no ar.
Eu amo a Faro, acho a Andrea sensacional e acredito que é uma das poucas que valoriza nosso trabalho.
A Editora que você falou que limita a quantidade de livros, manda e-mail falando quantos tem disponível, já tive parceria com eles e achei péssima.
Quanto aos posts de lançamentos, isso é complicado né? Hoje em dia deixo passar algumas semanas para fazer esse tipo de post, e sempre tento escrever um paragrafo falando das minhas expectativas, pois né?Também acho que fica uma leva de coisa igual

Lucy

Por isso eu não curto posts de lançamentos. Ainda bem que as editoras parcerias lá do blog não exigem isso de nós. Vez ou outra ajudamos com alguma ação de divulgação, mas mais pelas redes do que por post no blog mesmo, porque dá quase no mesmo: dependendo da ação, post vazio e sem conteúdo original.
Já lidamos com editoras com esse mesmo esquema de post mensal e quantidade contada de livro. Enche o saco, não tem como ficar logada 100% do tempo no e-mail do blog.
Bjs!

Joana Darc
Joana Darc

Oi
Parabéns pela coragem de expor aqui sua opinião, eu não sei bem como funciona parceria com editoras. Quando lancei meus livros eu que entrei em contato com os blogs acho é mais fácil…

Tay Ribeiro

Amei o post, eu já fiz parcerias com editoras lá por 2012 e não sei como funciona hoje me dia, mas eu lembro que até que mais leve do que hoje. Sei lá, acho meio abusivo você ser obrigado a falar sobre algo que nem é tão do seu interesse. É melhor quando ambas as partes estão em sincronia e tem um ambiente aberto para conversar e mostrar sua visão. Parcerias em que só querem que falem de lançamentos é totalmente uma furada
beijos

Yelloobow

Oi, adorei sua postagem. Nunca tive uma experiência de parceria com editoras grandes, por isso acho que não me arrependo ainda. Gostei dos seu pontos e entendo perfeitamente o que quis passar a nós. Obrigado!

Kênia Cândido

Oi Mari.

Amei seu post, pois está bastante sincero sobre as parceria. Geralmente meu blog consegue parcerias com editora pequenas, ainda não tive a chance de ter uma editora grande como parceira e geralmente os livros que resenho são de cortesias ou livros que compro. Então eu divulgo os livros e lançamentos que eu desejo ler e ter na minha estante ou no kindle.

Bjos
https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

Kelly Alves P.D.I

Oi Mari, Foi analisando tudo isso que esse ano abri mão de 90% das minhas parcerias… não só por tudo isso que você disse, mas porque meu tempo ficou escasso e meu hobby virou obrigação. Eu já não absorvia mais minhas leituras, eu só engolia os livros porque tinha um prazo para cumprir e enquanto isso as leituras que eram realmente desejadas ficavam pegando pó…. Enfim, esse ano li apenas 35 livros até agora, e ainda sim estou mais feliz que com os 100 do ano passado. Ganhar livro é muito bom, mas no final nessas parcerias estamos ganhando apenas… Ler mais