03
09
2019

A Pequena Livraria dos Sonhos – Jenny Colgan

Jenny Colgan não é uma desconhecida para mim. Pelo contrário, já faz algum tempo que leio os romances que ela escreve. Inclusive, existem alguns posts sobre os livros que eu já li dela em inglês. Sempre gostei bastante da maneira como ela escreve. Mais do que focar na vida romântica das suas personagens, Jenny Colgan conta histórias de crescimento pessoal e de descobertas. Logo, com A Pequena Livraria dos Sonhos, é fácil observar isso. Não tenho muito costume de destacar trechos, mas com esse livro, não consegui resistir. E é por isso que vim conversar com vocês sobre essa leitura.

Título OriginalThe Little Shop of Happy Ever After
AutorJenny Colgan
Série: Scottish Bookshop #1
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
AdicioneSkoob | Goodreads

A História de A Pequena Livraria dos Sonhos

(mais…)

25
03
2013

Acabei de Ler: Diamonds are Girls Best Friends – Jenny Colgan

20130227-231244.jpg

Eu comecei a ler esse livro simplesmente porque tinha sido escrito pela Jenny Colgan, e já tinha tido boas experiências com ela. Porém, dessa vez, não gostei muito da leitura.

A história é sobre a Sophie, uma menina rica que nunca teve que se preocupar com dinheiro. Ela perde a mãe ainda criança e o pai tenta compensar a perda dando para ela tudo o que ela quisesse. Com os mimos do pai e com as amizades que faz na escola, não é de surpreender que ela acabe virando uma menina folgada e mimada, fingindo que trabalha enquanto gasta todo o dinheiro do pai em festas e compras.

Mas uma noite tudo acaba virando de cabeça pra baixo: numa festa, a melhor amiga dela acaba roubando o seu namorado e, ao chegar em casa, ela dá de cara com as ambulâncias que tentavam salvar seu pais, que acaba morrendo vítima de um ataque cardíaco.

A verdadeira surpresa porém está no testamento do pai: ela terá que ficar seis meses sem mesada e sem nenhuma ajuda financeira, além de ter que sair da casa onde mora, para se virar sozinha. Após os seis meses, ela poderá voltar para sua fortuna.

Essa poderia ser uma história muito clichê, mas não o é. Muito pelo contrário, os fatos que ocorrem na história são bem realistas: não há nenhum grande vilão, nem uma solução mágica de contos de fada para salvá-la da pobreza iminente.

Sophie vai morar com um bando de rapazes: dois deles são estudantes de arte, um está no exército e o outro é estranho. Sério, no meio do livro eu ainda tinha dúvidas se ele era humano ou um cachorro muito bem treinado. Começa a trabalhar com o seu ex-patrão, que era um fotógrafo da moda, mas que tem um outro negócio muito mais rentável por fora, fazendo fotografias de gosto duvidoso de aspirantes a modelo sem muita roupa.

Ela começa a lidar com a falta de dinheiro, com o apartamento extremamente sujo que ela tem que limpar já que não tem dinheiro para fazer o depósito, com as “amigas” que insistem em voltar para sua vida… E aos poucos vai mudando. Ainda por cima, ela se sente extremamente atraída por um dos estudantes de arte, mas está convencida de que ele nunca vai querer algo mais sério com ela. E o outro dos estudantes acaba virando um amigo que vira namorado.

Os pontos altos desse livro: ele não acaba da maneira que você deve estar achando que ele acaba depois de ler o resumo que eu escrevi. Isso é bom, porque pra mim teria sido muito chato. A Sophie realmente cresce emocionalmente e acaba reavaliando o que é importante e o que não é.

Os pontos baixos: os personagens secundários são mal desenvolvidos, no sentido de que a história acaba se centralizando muito na Sophie. Alguns deles parecem estar lá simplesmente como pano de fundo. E apesar da situação não acabar da maneira esperada, os personagens são em alguns momentos extremamente previsíveis.

É um livro interessante e definitivamente não é água com áçucar. Só não sei ainda se vale a pena. Definitivamente, não é o melhor de Jenny Colgan.foto3

18
02
2013

Acabei de Ler: Welcome To Rosie Hopkins' Sweetshop Of Dreams – Jenny Colgan

Como já disse por aqui, conheci Jenny Colgan através da minha amiga Lany, que colocou o livro Meet me at the Cupcake Café na lista de melhores livros de 2012 dela. Fiquei bastante interessada (hello, tem receitas de cupcakes e de outros tipos de bolo em todo início de capítulo) e fui atrás de conhecer um pouco mais sobre a autora.

rosie

Depois de ler Meet me at the Cupcake Café e, ainda apaixonada pela história, engatar na sequência, Christmas at the Cupcake Café, joguei o nome da autora no Google para saber quais outros livros ela tinha escrito. Qual não foi minha surpresa ao ver que, em seus interesses, Jenny Colgan listava… Doctor Who?

Devo admitir que isso me fez gostar ainda mais dela (eu já tinha ficado toda derretida pelas menções de Doctor Who que ela fez nos dois livros). Mas o melhor ainda estava por vir: descobri que, mais do que ser uma fã de Doctor Who, Jenny Colgan já até publicou um livro da série (em tempo: a BBC Books publica contos e histórias de Doctor Who dos mais variados autores) chamado Dark Horizons, uma aventura com o décimo-primeiro Doctor, interpretado pelo Matt Smith. Eu ainda sou meio iniciante nas minhas leituras whovians, mas já adicionei Dark Horizons na minha lista.

Ok, voltando ao livro em questão (juro que não queria fazer deste um post sobre Doctor Who, mas quando a gente gosta tanto de uma coisa, isso acontece). Bem, Welcome To Rosie Hopkins’ Sweetshop Of Dreams, como o próprio título já dá a entender, é um livro extremamente doce.  Conta a história da Rosie, que acaba concordando em mudar temporariamente para uma cidade do interior da Grã-Bretanha, deixando sua amada Londres e o namorado para trás, para ajudar a acertar a casa, a loja de doces e a vida de uma tia-avó, Lillian, que já não consegue mais morar sozinha.

O livro acompanha Rosie enquanto ela conhece as pessoas que moram no vilarejo, tem que acostumar com aquela velha história de todo mundo saber da vida de todo mundo e ainda tem que aguentar as fofocas sobre a sua pessoa. A breve temporada de Rosie acaba sendo um pouco mais extensa do que ela previa, e a tia-avó reclamona e que não precisa da ajuda de ninguém vai aos poucos se abrindo e se apegando à nova companheira.

O que eu mais gostei nesse livro foi que aos poucos a história de Lillian também vai sendo contada, bem como vai sendo traçado um paralelo com o momento que a Rosie está vivendo. Algumas coisas precisam ser reconsideradas e algumas decisões tomadas, e vivendo com a tia-avó, Rosie acaba abrindo os olhos e enxergando sua vida de um outro ponto de vista.

Outro ponto muito legal é que no começo de cada capítulo você tem um trecho de um livro que a Lillian escreveu sobre doces e a maneira apropriada de se apreciar cada um deles. Dá para rir bastante com algumas das colocações que ela faz.

foto3No fim das contas, Welcome To Rosie Hopkins’ Sweetshop Of Dreams foi um livro que me fez pensar sobre como algumas atitudes que a gente toma podem acabar mudando toda a nossa vida. Gostei muito, mas ainda assim prefiro o Meet me at the Cupcake Café. Ah, e não me lembro de ter achado nenhuma referência de Doctor Who nesse livro… 🙁

16
02
2013

Acabei de Ler: Meet Me at the Cupcake Café – Jenny Colgan

Que eu amo chick-lit, já deu para perceber. Mas é sempre um prazer muito grande encontrar novas autoras do gênero que façam a gente se apaixonar por seus livros e suas histórias. Resolvi ler o livro por indicação da Lany, minha sis, que o recomendou lá na sua lista de melhores livros de 2012 no blog Por Essas Páginas.
 cupcakecafe
Gostei bastante. O livro conta a história da Issy, neta do Joe, que nos seus tempos de glória foi um daqueles padeiros de mão cheia, que ama o que faz e sempre tem uma boa história para contar e uma boa receita para fazer. Do avô Issy herdou essa alegria em fazer bolos e cupcakes, mas apesar disso ela trabalhava em um escritório de incorporações de imóveis.
Na vida amorosa, Issy também não está tão bem quanto poderia estar: tem um relacionamento com o chefe, que faz de tudo para esconder a relação dos dois.
A vida de Issy começa a mudar com um baque: a empresa em que trabalha resolve fazer cortes no pessoal e uma das primeiras a perder o emprego é justamente ela. Após passar por um período bem parado, Issy resolve arriscar numa empreitada nova e montar o Cupcake Café do título do livro. E que empreitada… Issy vai tendo que lidar com clientes mal educados, com amigas/funcionárias que quase se pegam de tão diferentes que são(e você, lendo, não sabe se ri ou se chora), com o relacionamento com o chefe, que de repente acaba, de repente volta e claro, com o bendito do banco, que pode ou não tornar seu sonho realidade.
O mais interessante é que a Issy nunca tinha tentado nada tão arriscado. Sempre tinha tomado as decisões mais seguras, aquelas que não tinham como dar errado. Mas com a reviravolta que acontece na sua vida, ela decide arriscar. Algumas mudanças são boas, outras simplesmente necessárias, algumas ela tem que voltar atrás.
Algumas coisas devem ser ditas a respeito do livro: ele traz um monte de receitas de cupcake, o que te faz ficar morrendo de vontade de comer (hummmm). Então, leia preparada. É um livro bem fofo (não há como não descrever esse livro como fofo) e que te faz ter vontade de jogar tudo pro alto e tentar seguir seus sonhos. E as crianças do livro são engraçadíssimas.christmascupcake
Um livro que é uma delícia de ler. Recomendo também a sequência, Christmas at the Cupcake Café. Ah, como eu queria ter coragem para me arriscar na cozinha com alguns dos cupcakes… foto3