02
03
2023

O Que Li Em Fevereiro – Um Pouco de Fantasia no Carnaval

Em fevereiro eu também li bastante. Foi só um livro a menos do que em janeiro e além disso, ouvi vários audiobooks. Ou seja, fiz valer minha assinatura do Storytel, o que foi ótimo. Também li duas cópias adiantadas que recebi das autoras e de plataformas de divulgação. Ou seja, para um mês mais curto como é fevereiro, até que foi bem movimentado em questão das leituras. E aqui nesse post vou contar sobre os livros que li em fevereiro.

Eu falei que incluí um pouco de fantasia no carnaval, não foi? Isso porque em fevereiro li vários livros de fantasia e ficção científica. E sim, são romances que se passam no espaço ou então que apresentam várias espécies de alienígenas. Mas apesar de ter romance nesses livros, não senti que era o tópico principal do livro, por isso não considero exatamente do gênero romance. Ou talvez não só do gênero romance. Enfim, como vocês definem isso?

Em fevereiro também fiz um esforço consciente de ler mais livros com protagonistas com deficiência. Aliás, a grande maioria desses romances eu li também em audiobook. Vou contar um pouco pra vocês sobre o que achei dessa experiência.

Os Livros de Ficção Científica e Fantasia

O primeiro audiobook que terminei de ouvir em fevereiro foi o segundo da série Starlight’s Shadow, o Eclipse The Moon. Essa é a continuação de Hunt the Stars e acompanha a tripulação da Starlight e seu envolvimento no que parece ser uma conspiração para reacender uma guerra entre humanos e Valovians. Esse segundo foca na história da hacker Kee Ildez, humana, e Varro Runkow, que é um especialista em armas valoviano.

Depois comecei a ouvir os audiobooks da série Innkeeper Chronicles, uma série que até agora tem 6 livros, sendo que um é basicamente uma novella. Essa série conta a história de Dina, que é uma Innkeeper, ou seja, ela cuida de uma hospedaria. Mas essa não é uma hospedaria comum. Muito pelo contrário. Essa hospedaria é responsável por hospedar seres de toda a galáxia que querem visitar a Terra ou simplesmente estão usando o planeta como uma parada em suas viagens. É uma série bem complexa, com várias espécies e comportamentos diferentes de todos os alienígenas que vivem pelo universo. Eu considero essa série mais fantasia do que ficção científica, pois todas as descrições tem algo de mágico nelas. Não só, mas também a própria hospedaria tem algo de TARDIS, sendo maior por dentro. E eu amo Doctor Who, como vocês podem imaginar.

Os Romances com Protagonistas Com Deficiência

Eu procurei pela internet livros com histórias de amor que tenham pessoas com deficiência como protagonistas, mas não é tão fácil. Eu ainda estou na procura e tenho mais alguns que quero ler na lista, mas por enquanto, esses foram os que eu li.

Baking Me Crazy

Esse faz parte do universo da Penny Reid, dos irmãos Winston, e da série Clube do Tricô. Ela criou um universo que várias outras autoras estão escrevendo suas próprias histórias, que se passam na mesma cidade e que tem aparições dos personagens dela. Baking Me Crazy tem uma personagem principal que é cadeirante e seu melhor amigo, que é apaixonado por ela desde que a conheceu.

Always Only You

Também li Always Only You, um romance da série dos irmãos Bergman, que tem uma personagem principal que tem autismo e artrose e por causa desse último, usa uma bengala para andar. Eu achei interessante porque normalmente quando um personagem tem alguma dificuldade de locomoção, é um cadeirante ou usa alguma prótese. Então é um pouco diferente quando o personagem usa outro tipo de aparato.

Code of Conduct e Getting Schooled

Os próximos são um exemplo disso. Nos dois temos um protagonista que usa uma prótese na perna por causa de amputação. Em Code of Conduct, a personagem principal, Shane, é uma investigadora particular que não deixa a amputação ser um obstáculo para correr, pular muros e entrar em casas sem ser notada, quando necessário. Já em Getting Schooled, após uma temporada no exército, Jay está na faculdade para se formar em engenharia mecânica. E por causa de uma missão que deu errado, ele perdeu uma das pernas numa explosão.

Os Romances Aleatórios que Li em Fevereiro

Finalmente terminei Well Traveled, o último da série Well Met, da Jen DeLuca. Para mim, esse foi o mais fraco. Também foi o que focou menos no relacionamento romântico entre o casal principal. Acho que por isso achei fraco: não porque não seja ótimo que o livro foque na história de como a Louisa está se encontrando com uma virada na vida. Essa parte é ótima. Mas para que se encaixe com os outros livros da série, era necessário que fosse um romance. E essa parte não me convenceu tanto.

Também encerrei a série Craques do Amor, com Envolvido nos Acréscimos. Eu gostei bastante desse encerramento, ou pelo menos eu acho que é encerramento. Porque não ficou tão claro assim e eu achava que o treinador ia ter seu livro. A única falha é que esse é um livro que saiu bastante do mundo do futebol. Mas foi bom mesmo assim.

Dirty Talk é sobre um locutor de rádio que tem um programa onde dá conselhos amorosos e sobre sexo, até o dia em que se interessa um pouco mais sobre uma das ouvintes que liga pedindo conselhos. Eu li esse mas fiquei com a impressão que foi um pouco mais do mesmo.

E aí li Ministério do Prazer, um conto bastante hot entre um ministro do STF careca e a filha de um senador patriota. Eu não consegui não ler, até mesmo porque a sinopse era boa. Mesmo que no começo pareça absurdo, o conto é bom. Tem uma história bem estruturada e é bem hot, com cenas de sexo explícito bem escritas. Existe até uma reviravolta no final, mesmo sendo curto (algo lógico, já que é um conto).

As Cópias Antecipadas Recebidas Que Li Em Fevereiro

Foram dois livros lidos como cópia antecipada em fevereiro: Meet, Play, Love, que me interessou pois se passa na Sicília. E assim, tudo que eu tenho a dizer é que se uma amiga minha se apaixona por um cara numa viagem e após uma semana, decide se mudar pra ficar com ele, eu a chamaria de louca. Mas como é um romance fictício, tudo bem, eu acho.

O outro é Sink or Sell, que se passa dentro de uma loja de departamentos. É um romance entre a Holly, que trabalha na loja e acha que é apaixonada por um dos irmãos que cuida da loja, e sobre o outro irmão, Declan. Eu achei o começo bem confuso, demorei um pouco para me situar na história e entender quem era quem, mas depois parece que melhorou um pouco e eu gostei mais.

E foram esses os livros  que li em fevereiro. Seu mês rendeu nas leituras? Qual foi seu livro preferido?

Ah, e se você tem algum romance que tenha algum dos protagonistas com deficiência, por favor, deixe nos comentários. Vou dar uma olhadinha em todas as recomendações.

Siga-me por aí:

Twitter | Facebook | Instagram

Skoob | Goodreads

Subscribe
Notificar-me quando houver
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ana
Ana
11 meses atrás

Adorei a postagem, está bem completa e com informações valiosas. Parabéns pelo trabalho incansável em manter esse blog sempre atualizado e com conteúdo de qualidade.

Ele se tornou o meu site favorito para procurar informações sobre o assunto que gosto. Continuem assim, você está fazendo um ótimo trabalho!

trackback
5 meses atrás

[…] the Sun foi meu audiobook do mês e é o terceiro da série Starlight’s Shadow. Esse se passa no espaço, ou seja, é mais ficção científica. Infelizmente, essa história e […]