18
10
2019

A Dama da Meia-Noite – Tessa Dare

Chegamos ao último dos livros que faltavam ter um post específico da série Spindle Cove. Hoje, iremos conhecer A Dama da Meia-Noite, o terceiro livro da série. O quarto, Uma Duquesa Qualquer, já tem post aqui no blog. Aliás, para a série ficar totalmente completa, ainda faltariam os posts de duas “novellas”: O Presente Inesperado, que seria o #1.5, e A Bela e o Ferreiro, o #3.5. Mas quanto aos livros principais, só faltava mesmo A Dama da Meia-Noite.

Título OriginalA Lady By Midnight
AutorTessa Dare
Série: Spindle Cove #3
Editora: Gutenberg (Grupo Autêntica)
Páginas: 288
AdicioneSkoob | Goodreads

A Dama da Meia-Noite

A Dama da Meia-Noite conta a história de Kate Taylor, a professora de piano de Spindle Cove, e o Cabo Samuel Thorne. Kate tem um passado muito triste, pois não conheceu seus pais e foi criada como órfã em uma escola para moças. Já Thorne é bastante misterioso e até mesmo um pouco taciturno. Ele esteve na guerra com Bram, do primeiro livro, e é bastante leal. Foi o Cabo Thorne que impediu que os cirurgiões amputassem a perna de Bram na guerra. Isso acabou por criar um vínculo muito forte entre os dois.

Porém, como Thorne não fala muito, ninguém sabe exatamente do seu passado. Kate acha que ele não gosta do local nem dela, porque toda vez que tenta puxar assunto, ele não deixa a conversa se desenvolver.

Por não saber muito de seu passado, Kate decide ir atrás de uma das madames da escola em que foi criada. Ela tenta fazer com que a mulher lhe dê qualquer pista sobre quem seriam seus pais, pois tem algumas lembranças boas da sua infância. A mulher, entretanto, a simplesmente lhe diz que ela é filha do pecado. Triste, Kate perde a condução de volta para Spindle Cove e está sem dinheiro para alugar um quarto para dormir. É quando topa com Thorne que oferece para levá-la de volta em seu cavalo.

Thorne está na cidade para buscar um cão de caça. Ele pretende chamar o cachorro de Mancha, mas Kate se apaixona pelo filhote e o chama de Xugo, pois ele parece um texugo. Quando eles chegam a Spindle Cove, porém, há uma novidade. Existe uma família esperando por Kate. E logo ela descobre que eles podem ter as respostas que precisa sobre o seu passado.

Thorne porém está convencido de que há algo estranho e, para protegê-la, acaba por declarar que os dois estão noivos. E é aí que toda a confusão começa, pois logo fica claro que Thorne sabe mais sobre Kate do que ela poderia imaginar.

Conhecendo Melhor Kate e Thorne

A Dama da Meia-Noite nos apresenta um romance com muitos mistérios. O passado de Kate é uma incógnita, mas Thorne está decidido a protegê-la da verdade. Porém, a família que aparece em Spindle Cove, os Gramercy, estão convencidos de que ela é parte de sua família. É tudo o que Kate sonhou, mas talvez nem tudo sejam flores…

Os Gramercy são decididamente uma família fora do comum. Não parecem se encaixar na alta sociedade, todos cheios de opinião e nenhum decoro. Mas apesar de tudo, são extremamente amorosos e valorizam a família. Kate concorda em fingir o noivado com Thorne porque entende que deve agir com cautela. Ter um “noivo” para estar ao seu lado lhe daria apoio.

É interessante o desenrolar da história e como Kate vai aos poucos derrubando os muros que Thorne colocou ao redor de si. Como o leitor é privilegiado, pode saber o que Thorne está pensando e sentindo, e logo percebe que ele tem informações que poderiam magoar Kate. Por isso, ele se coloca como seu protetor, algo que é muito de seu caráter.

A resolução, bem como todas as respostas aos mistérios do passado de Kate, é surpreendente. Eu posso ter querido que o final fosse diferente, mas talvez o escrito pela autora seja o que melhor se encaixa.

Uma Boa Surpresa

Também é importante pontuar que esse é o primeiro livro da série que apresenta um casal LGBT. E foi o primeiro livro que me despertou para quais os artifícios as mulheres lésbicas da época tinham que recorrer para viver seus próprios romances. Achei interessante que me trouxe a reflexão. Desde a primeira vez que li esse livro, outros romances históricos já passaram por mim com a temática. Aliás, alguns até tinham o casal LGBT como principal. Mas foi em A Dama da Meia-Noite que me lembro de ter lido primeiro. E não é algo a que se dá ênfase, mas está lá de maneira clara.

Não é meu livro preferido da série, porém acredito que é uma boa história e que proporciona uma ótima leitura. Minha única crítica é que o título, que faz sentido em inglês, ficou bem forçado em português.

A série Spindle Cove: Uma Noite Para Se EntregarUma Semana Para se Perder – A Dama da Meia-Noite – Uma Duquesa Qualquer – Como Se Livrar de Um Escândalo – Uma Chance Para o Amor 

Siga-me por aí:

Twitter | Facebook | Instagram

Skoob | Goodreads

avatar
3 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
3 Comment authors
Kênia cândidoIvy Lacerda MontielClayci Oliveira Recent comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Subscribe  
Notificar-me quando houver
Clayci Oliveira

Se um dia eu ler algo da Tessa é por sua causa haiuhaiuhauihauih
Ontem estava olhando algumas promoções na Amazon e tinha alguns títulos de romance de época por lá. Pensando seriamente, ano que vem, tentar voltar pra esse gênero.

Ivy Lacerda Montiel

Oiii Mari

Uau, um livro de romance de época com um casal LGBT é inovador, não sabia que esse livro continha também essa premissa no enredo. Faz tempo que só vejo elogios sobre a escrita dessa autora e apesar do gênero de romances de época/históricos não ser meu favorito e leio bem pouco, aind pretendo ler algo dela qualquer dia.

Beijos

Kênia cândido

Oi Mari.

Adoro romance cheio de mistérios e pela sua resenha este livro parece ser dessa maneira. Mesmo não ter lido nenhum dos livros anteriores da série, eu gostei de saber um pouco dos detalhes sobre esse livro. Obrigada pela dica, já adicionei na minha enorme lista de desejados. Parabéns pela resenha.

Bjos